Momentos bons

PhotoGrid_1467115257886FB_IMG_1470752641594FB_IMG_1468016500864_1030003a7-1FB_IMG_1466633316515FB_IMG_14875422762610678FB_IMG_14875418911907971IMG-20160510-WA0004IMG-20180201-WA0000FB_IMG_14875417966232235FB_IMG_1468607066459-1

Anúncios

Pelos vales da sombra da morte

O rei Davi escreveu no Salmo 23 sobre sua passagem pelo vale da “sombra da morte”. Esta é provavelmente uma metáfora para as provações da vida em geral, ainda que também se aplica a uma pessoa que enfrenta sua própria morte ou a morte de um ente querido. Nesta vida enfrentamos provações.Estamos constantemente expostos a uma série de pressões. No entanto, podemos utilizar várias estratégias para diminuir os efeitos de uma tensa carga emocional. Aqui estão alguns passos eficazes:•Aprenda com as provações e sofrimentos, eles podem nos ajudar a adquirir novas habilidades. Jesus Cristo aprendeu pelas circunstâncias difíceis e experiências (Hebreus 5:8), e nós também podemos.• Conte suas bênçãos. Quando nos concentramos na dor, muitas vezes nos esquecemos de como a vida tem sido boa para nós. Paulo disse que devemos ser sempre gratos (Filipenses 4:6). Ele também explicou que o resultado de dar graças é uma “paz que excede todo entendimento” (vers. 7).• Não seja um prisioneiro de seu sofrimento, isso pode causar paralisia emocional. Precisamos permanecer ativos porque a inatividade é devastadora. Dr. Paul Brand, um especialista sobre o tema da dor, disse: “Quando eu confronto dor intensa, procuro atividades que irão me absorver totalmente mentalmente ou fisicamente, eu descobri que a distração consciente e a disciplina da atividade podem ser ferramentas úteis no combate à dor “(Paul Brand e Philip Yancey, O presente que Ninguém Quer, 1993, p. 254).• Encontre alguém com quem você pode compartilhar a sua carga. Muitas pessoas submetidas a duras provas cometem o erro de tentar lidar com elas sozinho. Nós precisamos de contato humano. “Melhor é serem dois do que um , mas ai daquele que está sozinho quando cai, porque ele não tem ninguém para ajudá-lo” (Eclesiastes 4:9-10).• Leve a vida um dia de cada vez. Pessoas que lutam contra depressão, conflitos emocionais e dificuldades em geral, geralmente, têm uma mentalidade auto-destrutiva. Suas emoções dizem que o sofrimento nunca vai acabar. Precisamos de uma atitude que percebe que estes momentos haverão de passar. Adote a perspectiva do salmista: “Este é o dia que o Senhor fez, regozijemo-nos e alegremo-nos nele” (Salmo 118:24), apesar de nossas dificuldades.• Não se frustre por questões insignificantes. Aprenda a solucionar problemas se estressando o minímo possível, ou não se estressando de modo algum.• Coma uma dieta equilibrada e nutritiva. Nossos corpos e mentes são muito menos capazes de lidar com o estresse e outras dificuldades se não fornecer-lhes os nutrientes de que precisam.• Exercite-se regularmente. Exercício adequado alivia o estresse, proporciona uma sensação de bem-estar e nos ajuda a dormir melhor, isso é importante para nosso contentamento e estabilidade mental.• Descanso regular e relaxamento. Deus ordenou para descansar (Êxodo 20:8-11). Nós também precisamos de tempo relaxante em uma base diária.• Desenvolva o senso de humor. “O coração alegre é bom remédio (Provérbios 17:22, NVI). Humor nos ajuda a superar as tensões. Viktor Frankl descobriu, enquanto estava preso em Auschwitz, que o humor é uma arma inata na luta pela sobrevivência . Rir é realmente um remédio eficaz.• Perceba que em última instância que todas as coisas estão nas mãos de Deus, Jesus em momento de grande dor, descansou em Deus: “Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito” (Lucas 23:46). David exorta-nos a “Entrega o teu caminho ao Senhor, confia nele” (Salmo 37:5). A palavra hebraica traduzida por “confiar “ é ilustrada como a imagem de uma criança impotente se arremessando nos braços estendidos de seu pai .Ore e derrame-se diante de Deus, Ele ouve nossas preces e compreende nossa dor: ” Senhor, inclina Teus ouvidos para mim, livra-me depressa, sê o meu castelo forte, cidadela fortíssima que me salve” Salmo 31:2Procure ler a Bíblia, nem que seja por poucos minutos, A Palavra de Deus é bálsamo e orienta nas tomadas de decisões: “Estou aflitíssimo Senhor, vivifica-me segundo a Tua Palavra” Salmo 119:107.Deus o abençoe.

Sinais do Verdadeiro Natal

Lucas 2: 12-13No próximo domingo dia 25 de dezembro todos os asas comemorará mais um natal. Natal é uma data mais comemorada mundialmente, independente de classes, línguas, credos e idades, todas as pessoas no dia de sua própria religião. Já estão fora do ar e divulgado nos meios de comunicação, os quais são capazes de sintetizar o sinal do natal e a maneira correta de se comunicar.

download (7)

Na passagem do evangelho de Lucas (2: 12-13) a conversa sobre o nascimento de Jesus.

Esta passagem nos fala que os anjos deram um dicário aos pastores da cidade de Belém e do lugar onde se encontrava o local onde estava o recém-nascido Jesus. Os sinais do natal natal: Natal é uma mensagem de voz audível dos céus para os homens na terra.

Deus enviou os seus anjos para cima e para baixo, o som dos votos foi maior que o esperado e os pastoreos foram privilegiados ao ouvirem e testarem esse anuncio maravilhoso o nascimento do salvador. É uma hora que começa a manifestar-se e é um encontro com o homem.Natal é Cristo identificando-se com humano: A expressão é uma mostra humana com o nascer do dia.

No entanto, o verbo estava cozinhando e habitando entre nós Jesus o Filho de Deus. Aquele de sua faixa e sua glória para se tornar um de nós por amor. Interessante que em meio à multidão o nascer do sol passou despercebido como no natal em nossos dias os sinais são apenas artificiais.Natal é Cristo manifestando na simplicidade.

Deitado numa manjedoura expresso a mais profunda da simplicidade da pessoa de Cristo. O anjo afirmou que o menino esteve numa manjedoura, era o lugar onde colocava uma pastagem para os animais. O natal nos fala da simplicidade da pessoa de Jesus, que é majestoso teve a manjedoura como berço.

O poder do partido natal, que nada tem com as banquetes e festas regadas a bebidas, e os presentes que as pessoas dão é importante. Como no dia do nascimento de Jesus as pessoas estão desarquivadas e não estão realizando os seus próprios gestos de nascimento e nascimento.

O que podemos fazer que o natal é mais que a realidade da grandeza do natal que as bíblias nos ensina. Verificação e revisão.

Que Deus nos ajude amém.

As origens da doutrina da imortalidade da alma

download (4)

As origens da doutrina da “imortalidade da alma”Nós vimos no artigo: “Ressurreição ou vida imediatamente após a morte?” que a Bíblia apresenta clara e unanimemente que os mortos estão dormindo e não tem consciência. Apenas para clarear novamente eis alguma das passagens a este respeito:

Daniel 12:2 diz:“E muitos dos que dormem no pó da terra ressuscitarão, uns para vida eterna, e outros para vergonha e desprezo eterno.”

A vida eterna começa não com a morte, mas com a ressurreição! Até aqueles que morreram estão no momento dormindo “no pó da terra”. Veja que Deus não diz a Daniel “e muitos daquelas almas estão agora no céu.”

Assim também com Paulo: ao falar aos tessalonicenses sobre a morte e a esperança que temos na ressurreição, ele falou sobre aqueles que estavam “dormindo:” Veja os termos que ele usa:

1 Tessalonicenses 4:13-16“Não quero, porém, irmãos, que sejais ignorantes acerca dos que já dormem, para que não vos entristeçais, como os demais, que não têm esperança. Porque, se cremos que Jesus morreu e ressuscitou, assim também aos que em Jesus dormem, Deus os tornará a trazer com ele. Dizemos-vos, pois, isto, pela palavra do Senhor: que nós, os que ficarmos vivos para a vinda do Senhor, não precederemos os que dormem. Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro:”

A esperança de Paulo, a esperança que Deus nos deu em sua Palavra tem um nome: ressurreição. Em um tempo entre o agora e a ressurreição, alguns de nós, provavelmente todos (dependendo de quando o Senhor voltar – este tempo ninguém sabe) morreremos. Não entraremos em um estado de regozijo no céu ou paraíso. Ao invés disto estaremos dormindo. Onde? No pó do chão, ou como normalmente é chamado na Palavra “Sheol” ou “Hades”, o túmulo. Esta é a verdade contida na Palavra de Deus simples e fácil de entender.

Imortalidade da alma: a crença comum vs a Bíblia

A verdade que os mortos estão dormindo agora e voltarão à vida na ressurreição, infelizmente, não é o que a maioria dos Cristãos acredita e que pode ser resumida como segue:

“Uma pessoa é composta de corpo e alma. O corpo é o físico carne-sangue “couraça” que funciona como uma casa para a alma. A alma é a parte imaterial, a mente, os sentimentos, etc. Na morte a alma deixa o corpo e continua a viver conscientemente para sempre no céu ou no inferno.”

No artigo “corpo, alma e espírito” nós lidamos com a alma e o que ela é exatamente. Talvez não haja um resumo melhor para o significado da palavra hebreia (“nephesh”), traduzida como “alma” na Bíblia, do que aquela dada pelo dicionário Vine:

“Nephesh:” Essência da vida, o ato de respirar, tomar fôlego … O problema com a “alma” do termo Inglês é que nenhum equivalente real do termo ou a ideia por trás dele é representado na língua hebraica. O sistema Hebreu de pensamento não inclui a combinação ou oposição do “corpo” e “alma” da qual são de fato origens latinas e Gregas” (Dicionário Vine Completo de palavras do Antigo e Novo Testamento, 1985, p. 237-238, com ênfases).

“Nephesh” (ou “Psuchi” no Novo Testamento grego), alma, é, de acordo com a Palavra de Deus simplesmente um fôlego da vida. Gênesis 2:7 demonstra esta verdade claramente:

Gênesis 2:7“E formou o SENHOR Deus o homem do pó da terra, e soprou em suas narinas o fôlego da vida; e o homem foi feito alma vivente.[“nephesh” em hebraico]. ”

Veja que a Palavra não fala da alma como algo separado do corpo. “O homem foi feito alma vivente.” Cada um de nós que respiramos hoje é uma alma vivente. Quando dermos nosso último suspiro, não mais seremos almas viventes. Estaremos dormindo, sem consciência, e como pessoas que dormem profundamente não tem consciência.

Se adotarmos a definição que a Palavra de Deus nos dá para alma e não a versão “greco-latina”, como Vine a chama, não teremos então problemas quando entendermos que animais também tem alma.

Gênesis 1:20-21″ E disse Deus: Produzam as águas abundantemente répteis de alma vivente [nephesh, alma]; e voem as aves sobre a face da expansão dos céus. E Deus criou as grandes baleias, e todo o réptil de alma vivente que as águas abundantemente produziram conforme as suas espécies; e toda a ave de asas conforme a sua espécie; e viu Deus que era bom.”

e Gênesis 1:29-30″E disse Deus: Eis que vos tenho dado toda a erva que dê semente, que está sobre a face de toda a terra; e toda a árvore, em que há fruto que dê semente, ser-vos-á para mantimento. E a todo o animal da terra, e a toda a ave dos céus, e a todo o réptil da terra, em que há alma vivente [nephesh em hebraico], toda a erva verde será para mantimento; e assim foi.”

Obviamente não há nada metafísico na alma. Qualquer ser que respira, seja homem ou animal, é uma alma vivente. De onde vem então esta crença da imortalidade da alma? Isto é algo que veremos a seguir.

Imortalidade da alma: uma crença platônica

Em relação à origem da ideia da imortalidade da alma, Vine já nos deu algumas dicas a respeito: esta crença vem da filosofia grega, defendida especialmente por dois filósofos gregos: Platão e Sócrates. Platão, embora não seja o primeiro a defender a doutrina da imortalidade da alma, ele foi definitivamente o mais eloquente. Como Werner Jaeger da Universidade de Harvard diz:

“A imortalidade do homem era um dos credos fundamentais da religião filosófica do platonismo, que foi, em parte, adotada pela igreja cristã.” (Werner Jaeger, “As ideias gregas da imortalidade”, Revisão Teológica de Harvard, Volume LII, Julho 1959, Número 3, com ênfases).

Como a Enciclopédia Católica (Tópico: a escola platônica) também nos informa:

“A grande maioria dos filósofos cristãos até Santo Agostinho foram platônicos.”

O que Platão acreditava a respeito da alma? Platão era discípulo de outro filósofo grego, Sócrates. A obra de Platão “Fédon” é um diálogo no qual retrata a morte de Sócrates. Ele se passa no último dia de vida de Sócrates antes de ser executado, tomando cicuta. Como a Wikipédia diz: “um dos temas centrais no Fédon é a ideia da alma ser imortal”. Poderíamos considerar “Fédon” uma obra que suporta a crença de dois grandes filósofos gregos no assunto. Aqui estão algumas passagens desta obra “A alma é a semelhança do divino e imortal, e inteligível, e uniforme, e indissolúvel e imutável… Ela vai para o puro, eterno e imortal, e imutável, ao qual ela pertence…” (Fédon)E novamente:

“A alma, cuja atitude inseparável é a vida nunca admite vida oposta, a morte. Assim, a alma é destinada a ser imortal, e uma vez imortal, indestrutível … Não acreditamos que não existe tal coisa como a morte? Com certeza. E isso é qualquer coisa, mas a separação da alma e do corpo? E estar morto é a realização de tal separação, quando a alma existe em si mesma e se separa do corpo, e o corpo é partido da alma. Que é a morte …. A morte é apenas a separação da alma e do corpo.” (com ênfases)

Mais ainda:

“Alegrai-vos e não choreis minha partida…Quando colocar-me no túmulo, diga que está enterrando meu corpo, não minha alma.”

O que Platão e Sócrates dizem soa familiar? De fato, sim. Poderia ser o resumo da crença da maioria dos cristãos!

Como o historiador da igreja Philip Schaff diz:

“Platão dá destaque também para a doutrina de um estado futuro de recompensas e punições. Na morte, por uma lei inevitável do seu próprio ser, assim como pela nomeação de Deus, cada alma vai para o seu lugar, o gravitacional mal para o mal e do bem subindo para o bem supremo.” (A Nova Enciclopédia Schaff-Herzog de Conhecimentos Religiosos, artigo: platonismo e cristianismo).

Tudo parece de fato ter sido escrito por um pregador cristão contemporâneo. De fato, compare o que lemos sobre Fédon com o que a maioria dos pregadores célebres do Cristianismo Contemporâneo diz sobre nosso tema:

“….você é uma alma imortal. Sua alma é eterna e viverá para sempre. Em outras palavras, seu real “eu” – sua parte pensante, sentimentos, sonhos, desejos, o ego, a personalidade – nunca morrerá….sua alma viverá eternamente em um dos dois lugares – Céu ou inferno…Se somos salvos ou perdidos, há consciência e existência da alma e personalidade.” (Billy Graham, Paz em Deus, capítulo 6, parágrafos 25 e 28).

Agora compare isto com o que Deus e Seu arqui-inimigo, o diabo, diz em Gênesis 2 e 3:

Gênesis 2:16-17, 3:4“E ordenou o Senhor Deus ao homem, dizendo: De toda a árvore do jardim comerás livremente, mas da árvore do conhecimento do bem e do mal, dela não comerás; porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás… Então a serpente disse à mulher: Certamente não morrereis.”

A primeira coisa que foi ensinada ao homem é – embora caído – supostamente imortal era o diabo no jardim do Éden. Compare “certamente não morrereis” com a doutrina da imortalidade da alma. “Sua alma é imortal e viverá para sempre”, Billy Graham disse. Embora o respeite muito, a mesma coisa disseram também Platão e Sócrates. De acordo com eles: não uma morte real. “Certamente não morrereis”, sua alma apenas deixa o corpo e vive eternamente no céu ou no inferno, dependendo do que se tem feito”. Irmão, isto não é uma crença Cristã, é uma crença pagã, ensinada primeiro pelo pai da mentira no jardim do Éden.

Imortalidade da alma: Tyndale e Lutero

Vejamos agora o que dois grandes reformadores pensam sobre a doutrina da imortalidade da alma. Tyndale aquele grande reformador e reverenciado tradutor da Bíblia, que foi queimado na estaca, disse sobre a doutrina da imortalidade da alma, respondendo ao defensor Papal Thomas More :

“Ao colocar as almas que partiram no céu, no inferno, ou no purgatório, destruís os argumentos com os quais Cristo e Paulo provam a ressurreição. . . E ainda, se há almas no céu, por que elas não estão em uma boa posição como os anjos? Se a alma está no céu, dizei-me que motivo há para a ressurreição?… a fé verdadeira posta (estabelecida) a ressurreição, a qual somos advertidos a buscar a todo momento. Os filósofos pagãos, negando isto, declaram que as almas sim vivem. E o Papa une a doutrina espiritual de Cristo e a doutrina carnal dos filósofos, coisas tão contrárias que não tem como estarem de acordo. Não mais como o espírito e a carne no homem cristão. E por essa mentalidade carnal de um papa ao consentir uma doutrina pagã, portanto ele corrompeu a Escritura Sagrada para estabelece-la. (Resposta ao diálogo de Sir Thomas More (reimpressão Parker 1850), pp. 180, 181., com ênfases)

E disse também:

“Eu me maravilho de que Paulo não tenha reconfortado os Tessalonicenses com esta doutrina (da imortalidade da alma) se soubesse que as almas de seus mortos estavam em gozo, assim como ele sabia da ressurreição, que seus mortos viveriam novamente. Se as almas estão no céu, em estado de glória como os anjos, conforme sua doutrina, diga-me então para que a ressurreição” (Resposta ao diálogo de Sir Thomas More (reimpressão Parker 1850), pp. 118., com ênfases).

Mais ainda, Martín Lutero, o grande reformador Alemão, em resposta à mesma Bula de Leão X, classificou a imortalidade da alma como “opinião monstruosa”. Eis aqui o que ele disse:

“Contudo, permito ao Papa estabelecer artigos para ele mesmo e seus fiéis seguidores, tais como: Que o pão e o vinho são substanciados no sacramento, que a essência de Deus gera não é gerada, que a alma é a forma substancial do corpo humano, que ele (o papa) é o imperador do mundo e rei do céu e um deus terreno, que a alma é imortal, e todas essas monstruosidades sem fim…( Afirmação de todos os artigos de M. Lutero condenados pela última Bula de Leão X), artigo 27, Weimar edição das Obras de Lutero, vol. 7, pp 131, 132, com ênfases)

O estudioso Luterano Dr T. A. Kantonen (A esperança Cristã, 1594, p. 37), resumiu a posição de Lutero sobre a morte com essas palavras:

“Lutero, com grande ênfase na ressurreição, preferiu concentrar na metáfora da escritura do sono. “Pois assim como quem dorme e alcança o amanhecer inesperadamente ao acordar, sem saber o que aconteceu com ele, também devemos ser despertados de repente no último dia sem saber como entramos na morte e passamos por ela. Dormiremos, até que Ele venha e bata no nosso túmulo e diga, Doutor Martin, levante-se! Então ressuscitaremos prontamente com ele para sempre.”

Não poderíamos concordar mais com esses dois grandes reformadores. A morte é sem dúvida dormir. Não existe tal coisa de alma imortal. O conforto da Bíblia é NÃO o conforto da maioria dos pregadores dão nos funerais, ou seja, que a alma morta, supostamente está viva. Este foi o conforto de Platão e Sócrates ao ensinar seus alunos convertidos. (Eu lembro novamente a citação da Enciclopédia Católica: “A grande maioria dos filósofos cristãos até Santo Agostinho foram platônicos”.) Continuaremos a acreditar nisto ou voltaremos nossos ouvidos para o que a Palavra de Deus diz?

Imortalidade da alma: outras fontes, os fundadores da Igreja

A imortalidade da alma é algo contrário às escrituras e é também estabelecida pela enciclopédia Judaica que diz a esse respeito:

“A crença de que a alma continua existindo após a morte do corpo não está nos ensinamentos da Sagrada Escritura… a crença da imortalidade da alma vem de judeus que tiveram contato com os gregos, de modo especial sobre a filosofia da Platão e seus princípios, que foi conduzido por meio dos mistérios Órficos e Eleusianos dos quais os egípcios e babilônios foram estranhamente misturados.” (A Enciclopedia Judaica, artigo, “imortalidade da alma, com ênfases).

De modo similar a Enciclopédia Bíblica internacional diz:

“sempre fomos influenciados de certa forma pelas ideias gregas, platônicas de que o corpo morre, mas a alma é imortal. Tais ideias são completamente contrárias à consciência israelita e não relato disso no Antigo Testamento.” (1960, Vol. 2, p. 812, “Morte”)

Irmãos, a alma NÃO é imortal. A alma é apenas para dar vida ao corpo. Você respira. Você tem alma. Assim também para os animais: eles são almas viventes. Você morreu, não há mais alma. A esperança dos Cristãos se apoia em apenas uma única doutrina: a doutrina da ressurreição dos mortos. Quando Paulo foi para Atenas, a capital do filósofo grego, a casa de Platão e Sócrates, ele pregou: “Jesus e a ressurreição” (Atos 17:18). Desde então o conceito da imortalidade da alma de espalhou por toda Grécia. Mas Paulo não disse isso para reiterar a mentalidade da filosofia grega. Ao contrário, ele pregou a única doutrina verdadeira sobre o assunto: a doutrina da ressurreição. Paulo não comprometeria a verdade reiterando os filósofos e suas opiniões. De fato aqui está um alerta para todos a este respeito:

Colossenses 2:8“Tende cuidado, para que ninguém vos faça presa sua, por meio de filosofias e vãs sutilezas, segundo a tradição dos homens, segundo os rudimentos do mundo, e não segundo Cristo.”

A palavra “filósofos” é a palavra usada em atos 17:18 para descrever os epicuristas e estoicos que ridicularizavam Paulo, porque ele estava pregando a ressurreição. É a palavra usada por Platão, Sócrates e todos os demais para descreverem a si mesmos. Eles eram filósofos e suas obras eram uma só: filosofia. Enquanto Paulo alertava: “cuidado para que ninguém vos prenda pela filosofia” – os fundadores da igreja – a maioria deles – foram capturados por ela. Por exemplo, o Dicionário Teológico Evangélico diz sobre a origem, os fundadores da igreja são descritos pela Enciclopédia Britânica como: “os teólogos e bíblicos mais importantes do início da igreja grega”.

“Especulação sobre a alma na igreja sub apostólica foi fortemente influenciada pela filosofia grega. Pode-se ver isto na aceitação da origem da doutrina platônica da preexistência da alma como mente pura (nous)…” (1992, p. 1037, “Alma”)

Aqui está o que a própria Origem escreveu:

“. . . A alma, tendo sua substância e vida em si mesma, deverá após sua partida do mundo, ser recompensada de acordo com que ela merece, ser destinada para obter uma herança de vida eterna e benção…ou ser mandada para o fogo eterno e punição…” (Padres pré Nicenos, Vol. 4, 1995, p. 240)”

Muitos dos fundadores da igreja, ao invés de rechaçar essas influências filosóficas, eles a cristianizaram, sendo enganados por elas e misturando-as com a verdade da Palavra com um erro da filosofia pagã. Veja o que Ackermann diz a respeito dos Padres da igreja grega, o mártir Justino:

“Justino foi como ele mesmo relata um admirador entusiasta de Platão antes de encontrar no Evangelho a satisfação plena que ele tinha procurado intensamente, mas em vão, na filosofia. E, embora o evangelho fosse infinitamente superior em seu ponto de vista do que a filosofia platônica, ainda assim ele considerava a filosofia como estado preliminar para o evangelho.” E do mesmo modo fizeram muitos escritores apologéticos ao se expressarem sobre Platão e sua filosofia.” (Ackermann, Das Christliche im Plato, chap. i., Hamburg, 1835; Eng. transl., The Christian Element in Plato, Edinburgh, 1861).

De fato a Enciclopédia Britânica descreve o mártir Justino como “o primeiro cristão a usar a filosofia grega no serviço da fé cristã”.

E como o historiador de igreja alemão Philip Schaff diz em sua Enciclopédia:

“muitos dos primeiros cristãos encontraram peculiar atração nas doutrinas de Platão, e as empregaram como armas de defesa e extensão do cristianismo, ou colocaram as verdades do cristianismo em um molde platônico. As doutrinas do Logos e da Trindade receberam a sua forma de Padres gregos, os quais, se não treinados nas escolas, foram muito influenciados, direta ou indiretamente, pela filosofia Platônica, particularmente no modelo Judeu-Alexandrino. Que os erros e corrupções penetraram na Igreja a partir desta fonte não pode ser negada… Entre os mais ilustres dos padres que foram influenciados por Platão, podemos nomear: Justino Mártir, Atenágoras, Teófilo, Irineu, Hipólito, Clemente de Alexandria, Orígenes, Felix Minúcio, Eusébio, Metódio, Basílio, o Grande, Gregório de Nissa, e Santo Agostinho.” (A Nova Enciclopédia de conhecimentos religiosos Schaff-Herzog, artigo: Platonismo e Cristianismo, com ênfases).

Imortalidade da alma: conclusão

Concluindo: a doutrina da qual afirma que alma dos mortos se separam de seu corpo e segue vivendo no céu ou no inferno, por que a alma e supostamente imortal, não é uma inovação Cristã. É algo que foi articulado por Platão e Sócrates, os quais por sua vez tiveram grande influência na maioria dos doutores da Igreja, do Mártir Justino até Agostinho. Esta doutrina pagã embora infundada na Bíblia e nos livros do Antigo Testamento, Jesus e os apóstolos foram colocados juntos com as ideias de outros filósofos gregos e renomeado de cristã. Esta doutrina platônica pagã substituiu a verdadeira esperança cristã em relação à morte: “a ressurreição ao soar da última trombeta, porque a trombeta soará, e os mortos ressuscitarão incorruptíveis.” (1 Coríntios 15:52). Portanto por que a ressurreição dos mortos é mantida como a doutrina da igreja, se afirmam que os mortos tornam-se imortais logo após a morte? Tyndale foi muito direto ao perguntar: “Se as almas estão no céu, em estado glorioso como anjos, conforme sua doutrina mostre-me para que a ressurreição”. A imortalidade da alma não é bíblica, pagã e essencialmente incompatível com a doutrina da ressurreição dos mortos: Não há na verdade nenhum sentido se o morto está vivo agora, pois ressurreição indica que estão vivos”. Como Paulo diz em I Coríntios 15:22-23):

“Porque, assim como todos morrem em Adão, assim também todos serão vivificados em Cristo. Mas cada um por sua ordem: Cristo as primícias, depois os que são de Cristo, na sua vinda.”

TODOS serão vivificados. Isto é futuro. A palavra ao dizer que SERÃO vivificados na vinda de Cristo, deixa claro que eles NÃO estão vivos agora. Tudo mais é mentira, independente se seu pastor, sua denominação ou sua santa igreja favorita lhes ensina isto.

Você e eu temos uma escolha a fazer: acreditaremos em Deus e sua Palavra, ou acreditaremos em Platão, Sócrates e o que eles trouxeram, por meio de seus discípulos para dentro da doutrina da Igreja? Você quer ser discípulo de Platão ou de Cristo? Fazer a escolha certa significa permanecer de pé contra a opinião popular (e acreditar na imortalidade é popular, estabelecida pela opinião da igreja) e arcar com as consequências. Mas cuidemos disto ou cuidemos da verdade? Importaremos com o que homens dizem ou sobre o que Deus nos diz a esse respeito? Como Paulo nos ensina:

2 Timóteo 2:15“Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade.”

Manter ambas, a Palavra e nossas tradições neste caso não é possível. Uma das duas terá que sair e eu oro para que você faça a decisão correta de qual será.

 

Quais são as mais importantes perguntas na Bíblia?

São muitas, muitas perguntas na Bíblia. É difícil encontrar algo como o hebraico antigo e o grego koiné não usam erros – não pode simplesmente se pensar nos Manuscritos do Mar Morto e contar com alguns pontos de interrogação podem ser encontrados! Muitas vezes, é difícil saber o que é realmente uma pergunta. Entretanto, os livros bíblicos podem ser publicados e publicados em aproximadamente 3.300 perguntas na Bíblia. É simplesmente um resumo de algumas das perguntas mais importantes e mais importantes da Palavra de Deus. (Gênesis 3: 1) Esta é uma primeira pergunta na Bíblia e também uma primeira instância de questionar a Palavra de Deus. Satanás tenta Eva a duvidar da Palavra de Deus. Eva responde adicionando à Palavra de Deus: “… nem tocareis nele …” Deus disse para não comer da árvore. Ele nunca disse para não tocar o seu fruto. Adão e Eva respondem a uma pergunta de Satanás com uma desobediência à Palavra de Deus. Tudo começou com uma pequena pergunta “Onde estás?” (Gênesis 3: 9) Esta é uma primeira página feita por Deus na Bíblia. É claro que Deus exatamente como Adão e Eva estavam fisicamente. Uma pergunta foi para o seu benefício. Deus estava perguntando: “Você me desobedeceu. Será que as coisas saíram como você quer ou como previ?” A busca também é o coração de Deus, que é o coração de um pastor que busca os perdidos e a esperança de trazer para o rebanho. Jesus viria mais tarde “buscar e salvar o perdido” (Lucas 19:10). ” Se faz algo que não vale a pena, então nós não podemos estar entendendo. Quando questionamos a justiça de Deus, é porque nosso senso de justiça está deformado. Quando dizemos: “Não entendo como um Deus justo e bom pode permitir isso,” é porque não entende corretamente o que significa ser um Deus bom e justo. Muitas pessoas têm uma maior compreensão do que o próprio Deus. “Ainda conservas na tua Igreja? Amaldiçoa a Deus e morre!” (Jo 2: 9) Todo o livro de Jô se resume a uma questão da esposa de Jó. Através de tudo, Jó manteve sua comunicação. Os seus “amigos” repetidamente dizem: “Você deve fazer algo realmente errado para Deus fazer isso com você.” Deus repreende that friends by atacarem Jó e a presunção da Sua soberana vontade. Então Deus repreende Jó, lembrando-lhe que Ele é perfeito em todos os seus caminhos. As muitas questões são incluídas na apresentação da grandeza de Deus: “Onde está, quando está nos fundamentos da terra?” (Jo 38: 4) “Morrendo o homem, porventura tornará a viver?” (Jo 14:14) Exceto o retorno de Cristo em nossas vidas, todos nós vamos ver um dia. Há vida após a morte? Todo mundo pondera essa questão em algum ponto. Sim, existe vida após a morte, e todo mundo vai experimentá-la. É simplesmente uma questão de onde existir. Será que todos os caminhos levam a Deus? De certa forma, sim. Vamos todos à frente de Deus depois da morte (Hebreus 9:27). Independente de qual o caminho que deseja um homem, ele vai encontrar-se com Deus após a morte. “Muitos dos que dormem no pó da terra ressuscitarão, 16-17). “Quem enviarei, e quem há de nós por nós?” (Isaías 6: 8) Uma resposta correta é feita por Isaías: “eis-me aqui, envia-me a mim”. Muito, é uma nossa resposta é: “Eis-me aqui, mas, Isaías 6: 8 é um verso muito popular usado em conexão a missao internacional. No entanto, no contexto, não houve pedido de consulta para o outro lado do planeta. Deus estava solicitando que alguém levasse seu mensagem aos israelitas. Deus queria que Isaías declarasse a verdade como as pessoas que viam todos os dias, o seu povo, a sua família, o seu vizinho, os seus amigos. “Senhor, até às vezes o meu irmão, a sua mãe, o seu eu ” (Mateus 18:21) O perdão é difícil. Um sugestão de Pedro de sete vezes parece bonito, para ele, soberbamente generoso. A resposta de Jesus foi determinada pelo nosso perdão normalmente é. Devemos perdoar porque Deus nos perdoou muito mais (Colossenses 3:13). Perdoamos não porque uma pessoa mereça. “Merecer” não tem nada a ver com a graça. Perdoando porque é uma coisa certa a fazer. Essa pessoa pode não merecer o nosso perdão, mas também não é merecida de Deus, e Ele nos perdoou mesmo assim. “Que farei, então, de Jesus, chamado Cristo?” (Mateus 27:22) Esta foi uma pergunta de Pilatos para uma multidão reunida sem julgamento de Jesus. Sua resposta: “Crucifica-o!” A clamor de Davi! Bendito o que vem no nome do Senhor! Hosana nas Filho alturas! ” (Mateus 21: 9). This is not non a relaxed ea pressure social may change a opinião pública. Em Jerusalém do primeiro século, como pessoas que tiveram uma visão errante de Jesus e de Sua missão o rejeitaram; Então, hoje, como pessoas que chegam para a fé cristã com uma compreensão equivocada de Cristo é terminarão se afastando. When compartilhamos a nossa fé, temos de nos certificar de que estamos a encontrar com precisão quem é Jesus e fazer o que é o Cristianismo. “Quem é que é que eu sou? Mateus 16:15 Para obter uma maior pontuação, ele é um bom professor, uma resposta de Pedro: “És o Cristo, o Filho do Deus vivo”, é uma resposta correta (Mateus 16:16). “Que aproveita o homem ganhando o mundo inteiro e a perder sua alma?” (Marcos 8:36) Se o custo é uma coisa, então qualquer lucro – até mesmo todo o mundo – nada serve. Infelizmente, “nada” é uma grande maioria das pessoas se esforçam para obter – como coisas deste mundo. Perder a alma tem dois significados. Em primeiro lugar, o significado mais óbvio é que a pessoa perde sua alma por toda a eternidade, enfrentando a morte eterna no inferno. No entanto, enquanto estiver a ganhar o mundo inteiro, faça a sua própria vida de uma maneira diferente, durante esta vida. Você nunca vai experimentar uma vida abundante que está disponível através de Jesus Cristo (João 10:10). Salomão buscou prazer e não negou nada a si mesmo. No entanto, ele disse: “… eis que tudo era vaidade e correr atrás do vento, Quando alguém pode nascer, sendo velho? É claro que não pode entrar pela segunda vez no ventre de sua mãe e renascer! ”(João 3: 4) As pessoas hoje ainda não compreendem o que é novo de novo. Uma mulher que está começando a pensar em algo novo, No entanto, não há também todas as implicações do termo. Tornar-se um cristão – nascer de novo – é começar uma vida inteiramente nova. É sair da morte espiritual de vida espiritual (João 5:24). É se tornar uma nova criação (2 Coríntios 5:17). Nascer de novo não está disponível na sua vida já existente; é radicalmente substituí-la. “Que diremos, pois? Permaneceremos no pecado, para que seja uma graça mais abundante? ”(Romanos 6: 1) Somos salvos pela graça (Efésios 6: 8). Quando colocamos a nossa fé em Jesus Cristo, todos os nossos amigos são celebrados e temos uma garantia de vida eterna no céu. A salvação é um dom da graça de Deus. Isso quer dizer que um aluno pode viver de qualquer jeito que queira e ainda ser salvo? Sim. Mas um calor não vai viver “de qualquer jeito que queira.” Um cristão tem um novo Mestre e não serve mais um si mesmo. Um tutorial vai crescer espiritualmente e progressivamente na nova vida. A não é uma licença para pecar. O pecado deliberado e sem arrependimento zomba da vida e a liderança das perguntas sobre a vida humana em pessoa (1 João 3: 6). Sim, há momentos de fracasso e rebelião na vida de um cristão. E, não, perfeição, qualquer outro pecado não é possível deste lado da glória. Entretanto, o amor é gratidão pela graça de Deus, e não tira vantagem dela. O balanço é feito nas palavras de Jesus à mulher apanhada em adultério. Depois de se recusar a condenar, “vai e não peques mais” (João 8:11). “Se Deus é por nós, quem será contra nós?” (Romanos 8:31) Os filhos de Deus têm de enfrentar uma contestação neste mundo (João 15:18). O diabo e seus demônios se opõem a nós. Muitas pessoas no mundo se opõem a nós. As filosofias, valores e prioridades do mundo se opõem a nós. Em termos de nossas vidas terrenas, podemos ser superados, derrotados e até mortos mortos. No entanto, em termos da eternidade, Deus nos prometeu a vitória (1 João 5: 4). Qual é o pior que poderia nos acontecer neste mundo? A morte Para quê que são nascidos de Deus, o que acontece depois da morte? Eternidade no lugar mais glorioso que se imaginar. As perguntas feitas por homens que buscam a verdade, por escarnecedores, por pessoas desanimadas e pelo próprio Deus. Não tem medo de fazer perguntas, apenas é necessário para aceitar uma resposta que o Senhor enviar. o que acontece depois da morte? Eternidade no lugar mais glorioso que se imaginar. As perguntas feitas por homens que buscam a verdade, por escarnecedores, por pessoas desanimadas e pelo próprio Deus. Não tem medo de fazer perguntas, apenas é necessário para aceitar uma resposta que o Senhor enviar. o que acontece depois da morte? Eternidade no lugar mais glorioso que se imaginar. As perguntas feitas por homens que buscam a verdade, por escarnecedores, por pessoas desanimadas e pelo próprio Deus. Não tem medo de fazer perguntas, apenas é necessário para aceitar uma resposta que o Senhor enviar.

Reconstruído o templo

Livro de Ageu – Cap. 1 – Reconstruindo o TemploRECONSTRUINDO O TEMPLO

INTRODUÇÃO: Ageu é um dos profetas considerados “menores”. Tanto Ageu quanto Zacarias iniciaram seus ministérios no segundo Ano do Rei Dario (520 a. C.), tanto os reinos da Assíria e Babilônia saíram de cena, e o Império que rege e governa é a Persa. Os acontecimentos deste livro envolve o período pós-cativeiro, os judeus voltaram do exílio (cativeiro 70 anos) sob decreto do rei Ciro da Pérsia em 538 a.C (Is. 45, Ed 1.1-2 e 2 Cr. 36.22-23).No segundo ano da sua vinda do exilio em 536 a.C lançaram os fundamentos do templo (Ed 3.8-13), mas as oposições externas e desencorajamentos internos fizeram com que eles abandonassem o projeto durante 16 anos (Ed 4.1-4).

Somente em 520 a.C, depois de 16 anos de abandono, se levanta os Profetas Ageu e Zacarias enviados por Deus para exortar (Ag 1) e encorajar (Ag 2) o povo a voltar a reconstrução do templo em Jerusalém qual é tema principal deste livro, “reconstruindo o Templo”, pois o povo que voltará estavam mais preocupados em refazer suas casas com luxo, do que reconstruir a casa de Deus que estava em ruínas, este era o motivo e o propósito de estarem ali..Deus vem nos ensinar e chamar a atenção, do que é a verdadeira prioridade na vida de um Cristão, e encorajar a não abandonar e deixar de lado a Sua obra, e também em todos os segmentos da nossa vida.

O livro de Ageu constitui de 4 mensagens proféticas ao longo dos 2 capítulos.TEMA do Livro: Reconstruindo o TemploAgeu sig.: “Festivo”.DA ALEGRIA PARA A FRUSTRAÇÃO (Ed. Cap. 3 e 4)Voltaram do cativeiro, da disciplina do SENNHOR, estavam alegres e motivados, e começaram a obra da casa de Deus, mas esta alegria durou pouco e logo a alegria virou frustração, desânimo e a obra ficou parada por quase 16 anos.Demonstrando que o homem é responsável pelos seus atos mesmo quando a promessa é feita e irá se cumprir.

Ed Cap. 3 – ALEGRIA E CHORO DE UM NOVO RECOMEÇO (lançando os fundamentos do templo)“… lançaram os alicerces do templo da Casa do SENHOR,…” Ed 3.10.“Porém dos sacerdotes, e levitas, e cabeças de famílias, já idosos, que viram a primeira casa, choraram em alta voz quando à sua vista foram lançados os alicerces desta casa; muitos, no entanto, levantaram as vozes com gritos de alegria.” Ed 3.12.“De maneira que não se podiam discernir as vozes de alegria das vozes de choro do povo; pois o povo jubilava com tão gritos, que as vozes se ouviam de mui longe.”

Ed 3.13.APLICAÇÃO: quando uma pessoa começa a fundamentar sua vida totalmente na palavra, ela tem sede e fome da palavra, assim também uma pessoa recém-convertida. Permanecer perseverante foi o problema do povo, e assim é conosco também quando o inimigo vem roubar nossa alegria querendo tirar o prazer das coisas de Deus e fazer parar a obra.

Ed Cap. 4 – DESANIMO, FRUSTRAÇÃO E INQUIETAÇÃO (A obra é parada pelos inimigos)Ed 4.4-5; 24 e Ne 4.9; 13; 16-17.“Então, as gentes da terra desanimaram o povo de Judá, inquietando-o no edificar; vs5 alugaram contra eles conselheiros para frustrarem o seu plano, todos os dias de Ciro, rei da Pérsia, até ao reinado de Dario, rei da Pérsia”. Ed 4.4-5.“Cessou, pois a obra da Casa de Deus, a qual estava em Jerusalém; e isso até o segundo ano do reinado de Dario, rei da Pérsia”.

Ed 4.24.OBSERVAÇÃO: situações do exterior: palavras de desânimo, inquietação e frustração vindas do inimigo.Situações do interior: desencorajamento e falta de constância e perseverança dos lideres que afetou todo povo.

APLICAÇÃO:Qual é a obra que está parada em sua vida? Na igreja o que está parado e o que precisa ser mudado? Liderança e membros. Fazer contraste com interior e exterior da igreja.No profissional, nos estudos, o crescimento espiritual parou?Permanecer constante, perseverar. Haverá situações exteriores que o inimigo vira para nos desanimar, inquietar e frustrar nossos planos, a questão é: eu não posso deixar que este mal exterior afete o meu interior ao ponto de me amedrontar e desencorajar.

ESTABELEÇA UMA ESTRATÉGIA.Neemias diferente de Zorobabel o governador e Josué o sumo sacerdote, (lideranças da época), desenvolveu estratégias para vencer a oposição, e em nenhum momento cessou a obra.“Porém nós oramos ao nosso Deus e, como proteção, pusemos guarda contra eles, de dia e de noite. Ne 4.9“então pus o povo, por famílias, nos lugares baixos e abertos, por detrás do muro, com as suas espadas e as suas lanças, e os seus arcos”. Ne 4.13“Daquele dia em diante, metade dos meus moços trabalhava na obra, e a outra metade empunhava lanças, escudos, arcos e couraças; e os chefes estavam por detrás de toda a casa de Judá;” Ne 4.16“O povo desanimado e amedrontado ficou parado esperando por 16 anos; preciso permanecer constante, perseverar naquilo em que fui chamado. Até quando vou ficar esperando e tomar coragem p/ enfrentar e receber (cumprir) a promessa?”“Desenvolva uma estratégia”.

EXORTAÇÃO (Primeira mensagem) Ag 1.1-15.Por que não recomeçaram a obra? Reconsiderem o vosso passado, vejam quais tem sido suas prioridades?QUAL TEMPO ESTÁ VIVENDO?“Assim fala o SENHOR dos Exércitos: Este povo diz: Não veio ainda o tempo, o tempo em que a Casa do SENHOR deve ser edificada”.

Ag 1.2.OBSERVAÇÃO: Por que não recomeçaram a obra? Porque estavam dando desculpas de que ainda não era tempo. Passado os 16 anos se levanta os profetas Ageu e Zacarias para os exortarem a voltar a construção.APLICAÇÃO: Preciso recomeçar e não dar desculpas, e reconhecer o tempo que vivo em minha vida.

QUAL A TUA DESCULPA?Deus pode estar colocando pessoas (profetas) para exortar você, chamar sua atenção, para sair do comodismo. Será que estamos a mais de 16 anos parado no tempo, dando desculpas para não recomeçar a obra, ou o trabalho, em todos segmentos da nossa vida.“Jamais conheci um homem que fosse bom em invertar desculpas e que também fosse bom em alguma coisa”.

Billy SundayRECONHEÇA (DISTINGA, CARACTERIZE) O TEMPO QUE ESTÁ VIVENDO.Judá não entendeu o prpósito da volta deles para jerusálem, era tempo de edificação, de reconstrução de uma nova vida ao lado do seu Deus, era de tempo crescer. Era tempo de olhar para o interior e não para o exterior.Qual é o tempo em que você está vivnedo: Ec 3 –é tempo de plantar ou colher, vs 2é tempo de edificar ou derribar? Vs 3Tempo de abraçar ou tempo de afastar-se de abraçar? Vs 5Tempo de buscar ou tempo de perder? Vs 6“o coração do sábio conhece o tempo e o modo. Vs 6 Por que para todo propósito há tempo e modo.

Ec. 8.5-6QUAL A TUA PRIORIDADE? (Ag 1.4).“Acaso, é tempo de habitardes vós em casas apaineladas, enquanto esta Casa permanece em ruínas?” Ag 1.4.OBSERVAÇÃO: a prioridade é Deus estar em primeiro lugar, no centro de nossa vida, governando e reinando em todas as áreas.“Buscai, pois em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas”.

Mt 6.33.APLICAÇÃO:“Quando Deus está no centro da minha vida, isto não exclui minhas responsabilidades, sou totalmente responsável pelos meus atos e minhas ações”.“Subi ao monte, trazei madeira e edificai a casa”. Ag 1.8, Deus não disse que iria cair do céu o templo reconstruído, pelo contrario, subam, contem a madeira e edifiquem a casa.Ex: ministérios etc..CONSIDERE O SEU PASSADO (Ag 1.5-7).“Ora, pois, assim diz o SENHOR dos exércitos: Considerai o vosso passado”.“Assim diz o SENHOR dos exércitos: considerai o vosso passado”. Ag 1.5-7.OBESERVAÇÃO: Por duas vezes Deus chama a atenção do povo, considerem o seu passado. Eles haviam acabado de sair do cativeiro (disciplina) e não estavam tão preocupados com sua situação.

APLICAÇÃO:Estou agindo como criança rebelde (birrenta) que não atende disciplina?“Como uma criança que acaba de sair do castigo, sai e comete o mesmo erro, assim é Israel com seu Deus”.PARA REFLITIR: Posso olhar minha vida presente e ver as consequências do meu passado? Sejam boas ou más.A OBRA É RECOMEÇADA (depois de 16 anos) – (Ag 1.12-15).

ATENDA A VÓZ DO SENHOR.“Então Zorobabel….., Josué…sumo sacerdote, e todo o resto do povo atenderam à voz do SENHOR, seu Deus, e às palavras do profeta Ageu, as quais o SENHOR, seu Deus, o tinha mandado dizer; e o povo temeu diante do SENHOR”. Ag 1.12.OBSERVAÇÃO: depois de muito custo, muita exortação, palavras de encorajamento e ânimo, o povo atendeu a voz do Senhor.fazer um paralelo entre Ed Cap 5 e Ag 1.12-15.

Ed Cap. 5 – EXORTAÇÃO E ENCORAJAMENTO DOS PROFETAS AGEU E ZACARIAS (A obra é recomeçada depois de 16 anos parados).“Ora os profetas Ageu e Zacarias…, profetizaram aos judeus que estavam em Judá e Jerusalém…” Ed 5.1“… e começaram a edificar a Casa de Deus…, e com eles, os referidos profetas de Deus, que os ajudavam.”

Ed 5.2.APLICAÇÃO:DAI-ME SENHOR OUVIDOS SENSÍVEIS A SUA VOZ;ATENDER É FAZER A SUA VONTADE.DESPERTE PARA A OBRA.“O SENHOR despertou o espírito de Zorobabel,… governador de Judá, e o espírito de Josué, … o sumo sacerdote, e o espirito do resto de todo o povo; eles vieram e se puseram ao trabalho na Casa do SENHOR dos Exércitos, seu Deus,…” Ag 1.14.“Desperta, ó tu que dormes….” Gl 5.14OBSERVAÇÃO: um povo que estava a 16 anos parados no tempo, precisavam de um despertamento, avivamento para recomeçar.

APLICAÇÃO:“Desperte para a obra, ministérios, desperte para a vida pessoal (profissional); Esforça-te para conquistar, crescer em todos os segmentos da sua vida, (material e Espiritual).”“Considere o teu PASSADO, o TEMPO em que vive e a PRIORIDADE em que está dando em sua vida, não espere que nada venha cair do céu, pois Deus está nos ensinando que as outras coisas vos serão acrescentadas, através do esforço e lutas.”“Eu quero recomeçar a obra que está parada, exorta-me Senhor para sair do comodismo e dai-me força e coragem para recomeçar de onde estou parado, seja na tua obra ou na minha vida pessoal.”“Eu quero recomeçar.”

Caim e Abel

download

Você pode estar pensando que a história de Caim e Abel não tem muita a ver com a sua realidade. Você nunca chegaria ao extremo de matar alguém por pura raiva afinal, não é?Jesus nos ensinou que essa história tem muito mais a ver conosco do que imaginamos.  Quando nos iramos contra alguém, quando desejamos o seu mal, quando o invejamos… já o assassinamos em nosso coração.

Quem foram Caim e Abel?

Adão e Eva tiveram filhos após serem expulsos do jardim do Éden. Primeiro, Eva concebeu Caim e depois Abel. Abel se dedicava a cuidar de ovelhas e Caim era agricultor.

A morte de Abel

Certo dia Caim ofereceu a Deus alguns produtos de sua agricultura e Abel ofereceu o seu melhor cordeirinho.  Deus se agradou de Abel, mas rejeitou a oferta de Caim. Com isso Caim ficou furioso e teve inveja de seu irmão.

Deus tentou conversar com Caim dizendo:

Por que você está com raiva? Por que anda carrancudo?  Se tivesse feito o que é certo, você estaria sorrindo; mas você agiu mal, e por isso o pecado está na porta, à sua espera. Ele quer dominá-lo, mas você precisa vencê-lo. (Gênesis 4:7)

Depois destas coisas, Caim convidou o seu irmão para ir até o campo e lá o matou.

Deus o encontrou e perguntou:

– Por que você fez isso Caim? O seu irmão da terra clama a mim por vingança. De agora em diante você não colherá mais nada da terra. Você irá andar errante pelo mundo.

Caim respondeu:

– Não vou poder suportar esse castigo, porque quem me encontrar vai me matar, com certeza!

Isso não vai acontecer. Pois, se alguém matar você, serão mortas sete pessoas da família dele, como vingança. (Gn 4:15)

Em seguida Deus lhe colocou um sinal para que se alguém o encontrasse não o matasse.

Caim saiu da presença do Senhor e foi morar em Node (localizado a leste do jardim do Éden).

Por que Deus rejeitou a oferta de Caim e aceitou a de Abel ?

Há muitas especulações a esse respeito.  Listamos abaixo as principais linhas de pensamento:

  • Deus se agradou mais da oferta de Abel porque ele tem uma clara preferência por sacrifícios de carne/sangue do que frutas e verduras. O sangue seria o elemento reconciliador entre Ele e os homens.
  • Abel “fez exatamente o que Deus pediu” em oposição a Caim, que inventou algo de sua própria cabeça.
  • A reação de Deus não tem a ver com o sacrifício, mas com o caráter dos dois homens. De acordo com I João, Caim sempre foi “malvado” e isso justificaria a rejeição que sofreu.
  • A reação de Deus se justifica pela postura do coração de cada um dos irmãos na hora do sacrifício. Abel agiu com fé (Hb 11:4) ao passo que Caim não estava acreditando no significado de seu sacrifício.
  • Deus preferiu Abel porque ele escolheu as primícias, o melhor do que tinha para oferecer e já Abel não.

Obviamente, algumas das hipóteses podem ser compreendidas conjuntamente.

Citações de Caim e Abel em outros lugares da Bíblia:

Porque esta é a mensagem que ouvistes desde o princípio: que nos amemos uns aos outros. Não como Caim, que era do maligno, e matou a seu irmão. E por que causa o matou? Porque as suas obras eram más e as de seu irmão justas” (1 Jo 3.11, 12)

Foi pela fé que Abel ofereceu a Deus um sacrifício melhor do que o de Caim. Pela fé ele conseguiu a aprovação de Deus como homem correto, tendo o próprio Deus aprovado as suas ofertas. Por meio da sua fé, Abel, mesmo depois de morto, ainda fala. (Hebreus 11:4)

O assassinato e o conselho de Deus

Algum tempo depois dessa história, Deus escreve, por meio de Moisés, o mandamento “Não matarás”. Esse mandamento regulava a vida do povo de Israel no Antigo Testamento. O julgamento em caso de assassinato também foi proposto por Deus da seguinte forma: aquele que matou também deve ser morto, olho por olho, dente por dente, mão por mão, pé por pé.

Isso servia para regular, por exemplo, a vingança desproporcional, como ocorreu no caso de Lameque que afirmava, se gabando:

Matei um homem por causa de ferimentos que me causara; e uma criança porque me ofendeu. Ora, se Caim é vingado setes vezes, Lameque pode ser, setenta vezes sete!” (Gn 4:23)

O assassinato depois de Jesus

Jesus trouxe ainda mais luz para compreendermos como Deus enxerga o assassinato, ele ensina em seu sermão:

Vocês ouviram o que foi dito aos pais de vocês “Não Matarás”. Eu, porém, vos digo que todo aquele que se irar contra seu irmão, será réu de juízo; e quem disser a seu irmão: Raca, será réu diante do sinédrio; e quem lhe disser: “tolo” será réu do fogo do inferno

Ou seja, aquele que alimenta ira indevida contra o seu irmão, já o assassinou em seu coração.

Como podemos lidar com a ira

O sentimento que causou a tragédia na história de Caim e Abel foi a ira indomada de Caim. Quando Deus percebeu essa ira ele o advertiu dizendo “o pecado jaz a porta, mas cumpre a ti dominá-lo”.  A ira jamais pode ser senhora da razão.

Todo o ser humano é por natureza violento e competitivo.  Queremos ser melhores e nos  sentir melhores do que os outros. Não suportamos a ideia de nos vermos em uma posição inferior. Como Caim, não conseguimos enxergar o outro “sendo honrado por Deus” em detrimento de nossa própria glória.

O conselho de Deus para nós continua sendo o mesmo:

“cumpre a ti dominar o teu sentimento”.

E tendo feito isso, poderemos viver como verdadeiros irmãos.

Daniel na Cova dos Leões

imagens

A história de Daniel na cova dos leões quando se dá o rei Dario nomeou 120 pessoas responsáveis ​​por administrar o domínio e conduzir os supervisores sobre as quais eram Daniel.

Daniel se destacou tanto como supervisor que Dario planejava-se à frente de todo o governo.

Diante disso, os administradores e os dois líderes são procurados algum motivo para acusar Daniel em sua conduta, mas nada conseguiram. Eles resolveram between the “let ‘let on a acusation to Daniel, a less that be algo related with the law of Deus dele”.

Então os administradores e supervisores falaram com o rei Dario:

– Oh grande rei, todos nós achamos que você deveria ter feito um decreto ordenando que todo o homem que orar de qualquer outro deus ou qualquer outro homem, além disso, nos próximos 30 dias, seja lançado na cova dos leões.

O decreto do rei Dario

O rei assinou ou decreto com o seu selo real. De acordo com a lei dos medos e persas, tudo o que é selado com o selo real não pode ser ser alterado.

Daniel foi para a sua casa e apareceu no seu quarto, abriu as janelas e foi ajoelhado ao seu Deus como costumava fazer. Os administradores espionaram Daniel e ao avistarem fazendo assim foram logo relatar ao rei.

Daniel é jogado na cova

Quando você está saindo, você pode se despedir e se despediçar. Mas os homens insistem com ele alegando “lembra quem foi selado com selo real não pode ser quebrado ou mudado”. O rei não é livre de músicas e os seus guardas e prendências e o movimento na cova do leões.

– “Que o seu Deus a quem você continuamente serve, o livre!” – disse o rei com pesar.

A cova foi tapada com uma pedra e o rei a selou com seu anel. Tendo voltado ao palácio não conseguiu comer e nem dormir. No dia seguinte, levantou ao nascer do sol e correu para cova dos leões. Quando ia se aproximando chamou com angústia a Daniel:

– Daniel, servo do Deus vivo, dar-se-ia o caso que o teu Deus, a quem tu continuamente serves, tenha podido livrar-te dos leões? (Daniel 6:20)

Deus fecha a boca dos leões

Daniel respondeu:

Ó rei, vive para sempre! O meu Deus enviou o seu anjo, e fechou a boca dos leões, para que não me fizessem dano, porque foi achada em mim inocência diante dele; e também contra ti, ó rei, não tenho cometido delito algum.

(Daniel 6:21,22)

Os acusadores são lançados na cova

O rei ficou extremamente feliz ao ouvir a voz de Daniel, ordenou que ele fosse retirado e ordenou também que aqueles que acusaram a Daniel fossem atirados aos leões com suas mulheres e filhos. E antes deles chegarem ao fundo da cova, os leões os despedaçaram.

A nova ordem do rei Dario

Então o rei Dario escreveu a todo o seu império:

Da minha parte é feito um decreto, pelo qual em todo o domínio do meu reino os homens tremam e temam perante o Deus de Daniel; porque ele é o Deus vivo e que permanece para sempre, e o seu reino não se pode destruir, e o seu domínio durará até o fim. (Daniel 6: 27)

Daniel e seus amigos sabiam que o Deus que escrevia uma história humana era digno de confiança e não cometia erros. They sabiam that the facts of being free ou the unique of the grandison, is not such important of the coins of the unique the grand the mission.

Qual é a história do rico e Lázaro?

images (1)

Certo dia Jesus contou uma parábola sobre um homem muito rico e um mendigo chamado Lázaro. O homem rico vivia no esplendor, vestindo as melhores roupas, mas Lázaro vivia na miséria, com fome e cheio de feridas. Lázaro ficava à porta da casa do rico, esperando ansiosamente por migalhas (Lucas 16:19-21).

Chegou o tempo em que o rico e Lázaro morreram. Lázaro foi para o Céu, junto de Abraão, mas o rico foi para o inferno, ou Hades, onde era atormentado. De lá, o rico viu Lázaro junto de Abraão e pediu que Abraão mandasse Lázaro lhe dar um pingo de água, para aliviar seu sofrimento (Lucas 16:23-24).

Abraão respondeu ao rico que isso não era possível, porque havia um abismo impossível de atravessar entre eles. As posições do rico e de Lázaro se tinham invertido e não havia nada que pudesse ser feito (Lucas 16:25-26).

Então o rico pediu para enviar Lázaro aos seus irmãos, que ainda estavam vivos, para os avisar sobre o inferno. Mas Abraão respondeu que já tinham as Escrituras para os ensinar (Lucas 16:30-31). Se eles não davam importância às Escrituras, também não iriam ser convencidos se alguém ressuscitasse dos mortos!

 

Vai ter com as formigas e ser sábio

images (2)

Vai ter com a formiga, ó preguiçoso olha para os seus caminhos, e sê sábio.Provérbios6:6

O que é um minúsculo inseto como uma formiga nos ensina? Somos tão magnificamente grandes em relação a uma pressão mínima de seu dedo mindinho contra uma formiga a pura completamente! Um sopro nosso e lá vai formiga, para bem longe! Mas, Deus diz para manter o caminho dos insetos, isso é nos tornaria sábios.

Grandes lições são extraídas do universo desprezível do universo das pequenas coisas que nos rodeia; sábios são os que têm mais detalhes. A base das formulações é o pão com formulações enfileiradas, em marcha para algum lugar que lhes dizem respeito. Elas sabem o valor da organização e da união, os mesmos elementos seria seria o transporte o alimento. Se precisa ser resumir a vida das formas em uma só palavra, eu escolheria: comunidade. As empates são uma parte das outras, uma força individual se torna miraculosa através da união para o trabalho. Formigas working dia e noite, você já deixou alguma forma dormir, paradona? Se não viu, nunca veríe! E o 5: 17Formigas não dormem, não se vêem em turnos, e eu não fazem nada. Têm uma baixa taxa de metabolismo e ficam num estado mais lento, renovando as forças para a continuidade do seu turno. Dia e noite, na luz ou na escuridão, formas de trabalho por alimento. Other programme and the formigueiro and os pequeninos steps ganham a dimensão de um elefante. Porquê em elefante, descobri algo fantástico: você sabia que eles têm medo das formigas !? Sério! Rating: 0.0 A imagem da imagem da Universidade da Flórida, nos Estados Unidos, constou que os elefantes se afastavam de plantas acapitadas na região do Quênia por causa das formas. As calorias foram eliminadas da vegetação, era consequência das chuvas, que nada, e que surpresa! Descobriram que os elefantes não devoravam uma savana por medo das formigas! Elas entravam pelas trombas do animal e começandoavam a mordê-los. Também pode ser destruído que os elefantes são os animais vulneráveis ​​aos ataques das formigas. II Coríntios 12: 10 As mulheres e os senhores, observando como as formas, descobrirem que não têm tamanho, não são corpo, mas na essência. Por falar em essência, vejamos o que isso significa. Essência: É o que constitui uma natureza de um ser maior e mais requisitadoPara Platão: É o ser autêntico, percebido na medida em que o espírito se sobrepõe às percepções equivocadas e irreais dos sentidos. Para Aristóteles: É uma reunião das características comuns que definem uma natureza intrínseca de cada ser.Formigas são essencialmente realizadas e altruístas, capazes de fazer um elefante para defender a si e ao seu habitat. O perfume que atrai Você sabia que para tornar possível e eficaz o trabalho no formigueiro os insetos destilam uma espécie de aroma chamado feromônio? Esse perfume é responsável pela manutenção das trilhas, é o que faz com que o movimento se mova em fileiras sem se desviarem ou dispersarem. O cheiro do alimento ajuda a encontrar o caminho do alimento e garante a volta para casa. II Cor 15: 16É isso queridos leitores: de formiga em forma nunca falta trabalho nem comida no formigueiro. O que não é o cumprimento, o exemplo que é feito, mas também pratico. Certamente elas têm um mundo de coisas boas nos ensinam, mas de forma prática, traçam entre fé e formas: Diga não a preguiça e o comodismo, trabalhe para que o falte o sustento: material e espiritual. Reserve um tempo para o descanso, um momento de restauração do corpo, da mente e do espírito. Sem trabalho, aproveitando a companhia da família e de Deus. Jesus pede que vigie sobre o mal, tal qual uma forma vigia para afastar seus predadores. Não é permitido que as críticas e os erros cometidos por irmãos e lideres (a até nós mesmos) se mantenham num ponto de separação da comunidade com Deus e com uma Igreja. A união das formulações garante uma vida individual e em grupo. Que nossa mulher é Cristo: Ele em nós. Através desse relacionamento, este é um trabalho útil que nos interessa, transformando-nos constantemente. Que nosso perfume seja Cristo, o “feromônio” da vida construindo “trilhas” para os que estão ligados. A nossa equipa está enfentada para o inverno: no inverno, no verão e na primavera como forma de nos mantermos alimentados com a Palavra de Deus, haja o que houver. Não nos desviemos do Caminho que é Cristo, tal como as filas de formigas que se espalham quando se encontram, como se encontram em fuga através do feromônio, porque despejaram-se.Formigas têm uma essência de irmandade, repartem o alimento, cooperam com o bem estar do outro. Essa grande lição das formas lembra o mandamento Divino de amar o próximo como um si mesmo, que assim seja conosco. Em Cristo, o bom perfume da vida! no verão e na primavera como forma de manter os alimentos com a palavra de Deus, haja o que houver. Não nos desviemos do Caminho que é Cristo, tal como as filas de formigas que se espalham quando se encontram, como se encontram em fuga através do feromônio, porque despejaram-se.Formigas têm uma essência de irmandade, repartem o alimento, cooperam com o bem estar do outro. Essa grande lição das formas lembra o mandamento Divino de amar o próximo como um si mesmo, que assim seja conosco. Em Cristo, o bom perfume da vida! no verão e na primavera como forma de manter os alimentos com a palavra de Deus, haja o que houver. Não nos desviemos do Caminho que é Cristo, tal como as filas de formigas que se espalham quando se encontram, como se encontram em fuga através do feromônio, porque despejaram-se.Formigas têm uma essência de irmandade, repartem o alimento, cooperam com o bem estar do outro. Essa grande lição das formas lembra o mandamento Divino de amar o próximo como um si mesmo, que assim seja conosco. Em Cristo, o bom perfume da vida! Formigas têm uma essência de irmandade, repartem o alimento, cooperam com o bem estar do outro. Essa grande lição das formas lembra o mandamento Divino de amar o próximo como um si mesmo, que assim seja conosco. Em Cristo, o bom perfume da vida! Formigas têm uma essência de irmandade, repartem o alimento, cooperam com o bem estar do outro. Essa grande lição das formas lembra o mandamento Divino de amar o próximo como um si mesmo, que assim seja conosco. Em Cristo, o bom perfume da vida!

Reconstruído com pedras queimadas

download (2)

Não vos entristeçais; porque a alegria do Senhor é uma vossa força. “Neemias 8:10

Neemias foi contemporâneo de Esdras. A viver em uma fase difícil da história de Israel, quando o povo foi levado ao cativeiro da Babilônia e os que se encontravam na cidade de Jerusalém, conviviam com um cenário desastroso.

A cidade estava destruída. Casas e muros derrubados, construções em pedras prontas para o contato com o fogo e a fúria dos inimigos.

“Os sobreviventes, na saída do cativeiro estão em grande dificuldade e vergonha, o muro de Jerusalém é dividido, e como suas portas foram destruídas pelo fogo.” Ne 1: 3

Copire do rei Artaxexes, firma de confiança do corte, Neemias servia na capital de Susã, a 150 quilômetros do Rio Tigre, que atualmente é o Irã. Ele adquiriu a permissão e os favores do rei para voltar a Jerusalém e reconstruir uma cidade e suas fortificações.

O ano é aproximadamente 432 a. C. O que aprendemos com Neemias? Essa é mais uma narrativa bíblica fortalecedora, restauradora! Neemias era um homem de fé e temia um Deus, um em um palácio, o mesmo que faltava, mas o seu coração desfalecia pelos compatriotas.

Ele deixa o palácio e segue em missão para Jerusalém. Um homem que revela a grandeza da intercessão, da oração humilde, sincera e cheia de amor ao próximo. Além disso, a capacidade de discernimento de Neemias é algo que devemos buscar a fim de não cedermos às ciladas do inimigo.“À noite me levantei, e uns poucos homens, comigo; não declarei a ninguém o que o meu Deus me pusera no coração para eu fazer em Jerusalém .Então, lhes disse: Estais vendo a miséria em que estamos, Jerusalém assolada, e as suas portas, queimadas; vinde, pois, reedifiquemos os muros de Jerusalém e deixemos de ser vergonha.”

Neemias 2:12 e 17.Reedificar a cidade de Jerusalém representava também recobrar os ânimos dos moradores, a alegria de espírito, a comunhão espiritual com Deus. Jerusalém estava nua, desprotegida. Sem fronteiras, os inimigos adentravam livremente na cidade, saqueando o que restava, inclusive as vidas. Disse Jesus: “Eis que venho como ladrão. Bem-aventurado aquele que vigia, e guarda as suas vestes, para que não ande nu, e não se veja a sua nudez.” Ap 16:15. Essa situação é tão idêntica ao homem caído, entregue ao pecado. Sua alma fica refém do diabo que tem acesso livre às portas de seu coração. Neemias vem nos dizer que as fortalezas de pedra, destruídas e queimadas a fogo pelos inimigos, podem ser erguidas novamente, aleluia!E sucedeu que, ouvindo Sambalate que edificávamos o muro, ardeu em ira, e se indignou muito; e escarneceu dos judeus .

E falou na presença de seus irmãos, e do exército de Samaria, e disse: Que fazem estes fracos judeus? Permitir-lhes-á isto? Sacrificarão? Acabá-lo-ão num só dia? Vivificarão dos montões do pó as pedras que foram queimadas? Neemias 4:1-2Sambalate é a imagem de Satanás, aquele que nos acusa e despreza na tentativa de nos fazer desistir . Seu desejo é como uma boca grande e sempre aberta para devorar dizendo palavras de derrota: “ pobres e fracos judeus, tudo que têm são montões de pedras queimadas que só servem para o lixo, até uma raposa derrubaria esses muros que pensam em reconstruir”.

Querido leitor, essa é a missão do mal. Tal qual fez com Neemias faz conosco. Diz que não somos capazes, que somos pecadores, “pedras queimadas”. Seu prazer é ver muros derrubados, territórios saqueados, nus a frio e fome. Quando estivermos ouvindo essas vozes que surgem muitas vezes em forma de pensamento, ou através de “Sambalates”, saibamos de onde vem. Procuremos, assim como fez Neemias, orar , confiar e não desistir de agir conforme a Palavra.A figura das pedras queimadas merece destaque. Para Sambalate elas eram inúteis montões. Para Neemias, tinham valor tal qual as pedras originais. Essas pedras queimadas, podem ser eu e você, leitor. Feridos, decepcionados, vivendo adversidades. Pode ser quem um dia já se sentiu forte e feliz o bastante para ser muro sem brechas. Pode ser o que se levanta, se ergue, após seguidas derrotas. Pedras queimadas fala de vidas “passadas pelo fogo” e que aos olhos de muitos pode não ter valor, mas para Deus assim como para Neemias, elas podem reconstruir com a mesma força e utilidade de pedras virgens.

Pedras queimadas em Jerusalém, fala de vida espiritual. Pessoas que já viveram com vigor a vida cristã e hoje não mais. Acredito que muitas são as pedras queimadas espalhadas pela igreja, necessitando serem ajuntadas e valorizadas para construírem (ou reconstruírem) fortalezas.Neemias 4:7 E sucedeu que, ouvindo Sambalate e Tobias, e os árabes, os amonitas, e os asdoditas, que tanto ia crescendo a reparação dos muros de Jerusalém, que já as roturas se começavam a tapar, iraram-se sobremodo.Essa é uma fotografia de um muro reedificado com pedras queimadas, é perceptível a diferença de cor comparando-as com as pedras originais, elas são mais escuras. Esse muro fica em Banias 150 Km ao norte de Jerusalém. São séculos de construção e as pedras queimadas continuam firmes na sustentação da obra. Neemias não descartou as pedras queimadas e viu que poderiam ser tão úteis quanto as demais, e ele estava certo. Sambalate estava furioso porque os muros se reerguiam, as brechas se fechavam, mas Deus era com os construtores e a obra não parava. Neemias 4: 14 “ Não os temais! Lembrai-vos do Senhor, grande e temível, e pelejai por vossos irmãos, vossos filhos, vossas filhas, vossas mulheres e vossas casas.”Reconstruir os muros significava também reconstruir a vida familiar de muitos dos envolvidos na obra. Que grande, magnífica lição nos traz o livro de Neemias! Para cada vida restaurada espiritualmente, para cada pedra queimada assentada, muitas outras vidas beneficiadas! Não devemos desistir de buscar a Deus por causa da rudeza do mundo, da maldade das pessoas.

Pelo contrário. Se desanimarmos na batalha, seremos a pedra inútil que “Sambalate” se alegrará em chutar e despedaçar até virar pó e se esvair como poeira. Nossa força não está em nós mesmos, mas no Senhor, grande e temível, o mesmo que foi com Neemias para vencer. “Acabou-se, pois, o muro aos vinte e cinco do mês de elul, em cinquenta e dois dias.” Neemias 6:15″Disse-lhes mais: Ide, comei as gorduras, e bebei as doçuras, e enviai porções aos que não têm nada preparado para si; porque este dia é consagrado ao nosso Senhor; portanto não vos entristeçais; porque a alegria do Senhor é a vossa força.” Neemias 8:10A destruição se dá de forma tão rápida que às vezes é difícil de acreditar como em pouco tempo as coisas tomaram proporção tão grande! O fogo que consome uma floresta, carros que se chocam na estrada, guerras armadas, tudo destrói em segundos e às vezes leva anos para ser reconstruído. Criticar como Sambalate é mais fácil que agir como Esdras, por essa causa, o mundo conspira contra os filhos de Deus. Os muros da cidade de Jerusalém foram reconstruídos, sob a liderança de Neemias, em 52 dias. Foram destruídos em no máximo uma semana. Se nós estamos hoje tal qual as pedras queimadas de Jerusalém, saibamos que somos preciosos para Deus. A força para se reerguer está no Senhor que se alegrará em nos colocar como alicerce em nossa casa, trabalho, enfim aonde formos. Sambalate armou muitas armadilhas para que Neemias fosse morto e parasse a obra, mas não teve sucesso porque nem por um minuto Neemias duvidou de que Deus era com ele para o bem: “ A boa mão do meu Deus era comigo” Ne 2:8.Essa é a lição trazida pelas pedras queimadas erguidas nos muros da cidade de Jerusalém. Oro para que assim como tenha falado a mim, fale a tantos quantos o Senhor Deus enviar.Deus o abençoe.

A parábola de Jesus sobre remendo novo, veste velha

“Ninguém deita remendo de pano novo, em veste velha,porque semelhante remendo rompe a veste e faz-se maior a rotura” Mt 9:16

Quando Jesus falou sobre veste e remendo, Ele estava diante de alguns discípulos de João Batista que o interrogavam sobre jejum. A necessidade de tal pratica também era observada com afinco pelo clero fariseu.

Antes de proferir essa parábola, Jesus havia se deparado com fariseus e escribas criticando seu modo de viver: “ Por que come vosso mestre com os publicanos e pecadores? (Mt 9:11) Ele blasfema (Mt 9:3), rogaram para que Jesus se retirasse de seu território ( Mt 9: 34)”.

Imaginar Jesus salvando vidas com todo amor e bondade de Sua alma e recebendo olhares e palavras ríspidas como recompensa. Mas Ele não desistia, nem se intimidava com a perseguição, muito pelo contrário, todo o tempo possível era usado para curar corações. Pessoas, vidas, esse era o maior alvo do Mestre.Costureiras sempre dizem que é mais fácil e prático fazer uma peça nova do que concertar uma antiga.

Remendos são soluções provisórias para prolongar a vida útil de uma veste e a palavra grega usada por Jesus sobre remendo foi “Agnaphos”, indicando um tipo de tecido inacabado, de algodão e fibras ainda desalinhadas. Ou seja, um tecido que precisaria de retoques especiais para poder ser utilizado e nunca em veste velha, caso contrário, com a subsequente lavagem, ou mesmo com a força da linha de costura, o rasgo se tornaria ainda maior. A fraqueza do tecido velho, não suportaria a junção e resistência do novo.

Que significado teria essa parábola de Jesus?Interessante perceber a referência ao tipo de tecido usado para remendo e a contextualização da conversa que girava em torno de fariseus e discípulos de João batista: “ Podem porventura andarem tristes os filhos das bodas , enquanto o esposo está com eles? Dias, porém virão, em que lhes será tirado o esposo, então jejuarão.

Ninguém deita remendo de pano novo em veste velha, porque semelhante remendo rompe a veste e torna ainda maior a rotura” Mt 9: 15:16. O tecido novo era o próprio Jesus, a Nova Aliança da graça e a roupa velha, era a lei, todo o sistema religioso que dominava os fariseus, escribas e religiosos da época que não compreendiam os requisitos para o Novo Reino: arrependimento, perdão, novo nascimento.Jesus estava com eles, e Ele era maior que toda e qualquer regra, a santidade consistia em se aproximar Dele e recebê-Lo no coração como novo homem, com nova vida.

Era impossível seguir Jesus e continuar servindo ao antigo sistema de obras e tradições. A Nova Aliança, era aquele tecido inacabado, porque Jesus ainda seria morto e ressuscitaria para cumprir definitivamente o plano salvífico. Os filhos das bodas eram os discípulos. Jesus o esposo, O noivo que seria tirado, ou seja, após a ressurreição, seria elevado ao céu (Atos 1:9) para aguardar o cumprimento dos tempos. Apesar da comparação entre antiga e nova aliança, veste velha e remendo novo, Jesus aponta para um futuro em que os corações dos homens seriam comparados a vestes novas, brancas, completas, sem remendos.

Uma transformação possível através da fé e não de tradições. Do amor, e não da religião. Da graça que se cumpre com a ação do Espírito santo em nós, pecadores como Saulo que se fez Paulo. Eis o reino de vestes que não precisariam de remendos.Pode-se fazer uma comparação fiel entre a parábola de Jesus e esses versos de Efésios:E digo isto, e testifico no Senhor, para que não andeis mais como andam também os outros gentios, na vaidade da sua mente. Entenebrecidos no entendimento, separados da vida de Deus pela ignorância que há neles, pela dureza do seu coração; Os quais, havendo perdido todo o sentimento, se entregaram à dissolução, para com avidez cometerem toda a impureza. Mas vós não aprendestes assim a Cristo, Efésios 4:17-20

O velho homem, de vestes velhas.É vaidoso, ignorante, duro de coração, separado de Deus, enganado quanto a si mesmo, voltado para imoralidade e sem sentimento.E quando observei o significado real de “sem sentimento”, pude compreender melhor o estado do homem que vive sem Cristo. “Sem sentimento” é a tradução para “parar de vigiar, de se preocupar”.

A veste velha é como esse homem que se acostuma ao pecado e já não liga mais para o que Deus pensa sobre ele. Se perde o temor, o amor e procura agradar somente a si mesmo. Os remendos surgem com muitas cores e tamanhos: “idas a igrejas, vida fora de suspeita, evangelho vivido de forma emocional , superficial, mas nada de transformação, de rasgar as antigas vestes e vestir as novas para aguardar a volta do Noivo”.Sinceramente temi por minha vida ao fazer esse estudo. Temi por não querer me tornar essa veste velha, acostumada com o pecado e enganada sobre mim mesma. Porque a lei, a letra, os costumes, matam o amor e a fé, esfriam o relacionamento com Cristo Jesus. Quero muito ser como uma noiva preparada para receber O noivo, vigiando e procurando agradar a Deus acima de tudo.Que possamos compreender e viver o que Jesus nos ensinou.

Restaurando Árvores

images (3)

Ao fazer uma meditação intitulada “Frutos do Amor”, fez citações Bíblicas sobre como as boas e as boas palavras, como segue um comentário de Jesus, em Mateus 7: 17-20. “Você tem uma imagem final”, disse ele.

Para completar a parábola das árvores prepare-se para um pequeno estudo.

Porque é uma árvore plantada junto às águas que são as suas raízes para a ribeira e não recebem quando vem o calor, mas a sua folha fica verde; e não ano de sequidão não se afadiga nem deixa de dar fruto ”Jr. 17: 8.

As boas pranchas, que são frutos em todas as estações são os filhos de Deus, lavados e remidos no sangue do Cordeiro. Os homens que perseveram na fé e não perdem o prazo da aposentadoria em tempos de “abundância ou seqüidão”. O homem nasce a árvore do ribeiro.

Sem Ribeiro, não há raízes profundas não há beleza nem vida. Deus assim a vida do homem sem salvação, sem Deus no coração. This is not a dry soil is plant in the garden. e dali se dividia e se tornava em vários braços ”Gn 2:10.

Os homens precisam “beber do Ribeiro” para manter vivos e frutíferos. Não existe renovação de galhos, folhas, superfícies de profundidade não são água. Cristo o Ribeiro, nós as árvores.Árvores boas de podas, cuidados para não perder frenesi e inúteis.

É essa mesma razão que se mostra mais forte para manter as árvores saudáveis: “Não basta para revigorar e equilibrar as folhas envelhecidas, esgotadas e desequilibradas”. Nestes casos, devem ser adubos e, em certos casos, fazer regravação. Os ramos devem ser inseridos, deformados, velhos, empastados, sobrepostos e os ladrões, devem-se em muitos casos ser suprimidos ou atarracados. própria da espécie e da

“As árvores bem podadas podem resistir melhor a certas doenças, por a sua copa ficar mais bem arejada e iluminada.”Conclusão:Árvores más podem se tornar boas ao serem replantadas junto ao Ribeiro que é Cristo. São os homens destinados à morte eterna que escolhem nascer de novo confessando Jesus como Senhor e Salvador. As raízes se estendem para o Ribeiro e o que era morto revive: “Deus nos gera novamente para uma viva esperança em Cristo Jesus” I Pedro 1:3.As árvores boas, são os filhos do Reino descritos no inicio do estudo, precisam de “podas, adubos e chuvas”. A árvore não faz força para se manter saudável, o agricultor se encarrega de podar, arar, adubar e regar. Também não faz força para aprofundar as raízes, ela segue o caminho das águas, vai buscá-la. Deus é uma espécie de agricultor que nos transforma na medida em que nos entregamos a Ele. Através de Sua graça Redentora Ele permanece cuidando de nós por todos os dias até o dia em que de árvore terrena, passemos à árvore celestial: “Tendo por certo isto mesmo, que aquele que em vós começou a boa obra a aperfeiçoará até ao dia de Jesus Cristo” Fp 1:6.

Rute nos Campos de Boaz

Rute Nos Campos de Boaz”

O Senhor retribua o teu feito; e te seja concedido pleno galardão da parte do Senhor Deus de Israel em cujas asas te vieste abrigar” Rt 2:12.

A história de Rute, se passa aproximadamente entre 1350 à 1100 a.c. Conta a vida de uma familia de emigrantes que fugindo da seca, deixa Belém da Judéia e seguem em direção aos campos de Moabe. Poucas pessoas, Noemi (esposa), Elimeleque (esposo), Malon e Quiliom (filhos). Elimeleque, já não acreditava que Deus visitaria o lugar curando a terra e proporcionando abundância. Instou com Noemi, até convencê-la do novo destino que envolvia sonhos e expectativas de mudanças.Noemi, sempre fora confiante no Deus de Israel, em qualquer lugar e situação que estivesse.

Partiu em oração, com poucas roupas e objetos na bagagem e com o coração repleto de saudades e fé. Dez anos se passaram. Em Moabe, dor e sofrimento para Noemi. Perdeu esposo e filhos. Ganhou duas noras, trabalhadoras e bondosas: Rute e Orfa. Noemi, não quer atrapalhar o futuro das jovens, por isso, decide voltar para Belém, ouviu falar que “O Senhor tinha visitado o seu povo” (Rt1:6).

Orfa, retorna para sua família, Rute, porém, demonstra um grande amor e apego a Noemi:”Não insistas para que te abandone, e deixe de seguir-te, porque aonde quer que fores irei eu, e onde quer que pousares, ali pousarei eu; o teu povo é o meu povo, o teu Deus é o meu Deus” Rt1:16.

Rute e Noemi, deixam os campos de Moabe, que tanta dor e sofrimento lhes causaram. A partir de então começa uma nova história na vida de ambas. Um novo romance para Rute, e a revelação de uma intensa história de amor entre Deus e os homens. A mais pura, verdadeira e rica história que poderia ser contada pelos séculos dos séculos, eternamente. Minha alma, se regozijou ao ver no livro de Rute, a simbologia entre Cristo e a Igreja, entre o Deus misericordioso e o pecador.Não Foi Obra do Acaso: “E caiu-lhe por sorte uma parte do campo de Boaz que era da família de Elimeleque” Rt 2:3.

Para ajudar Noemi e também se manter, Rute vai apanhar espigas. Deus, já estava conduzindo a vida de ambas. Elas eram tementes, obedientes a cheias de fé. Deus, ouviu as orações das duas. Rute, orava por Noemi, que por sua vez, clamava a Deus pela nora. Quando quisermos atribuir à “sorte”, ao “acaso”, a “coincidência”, as dádivas diárias lembremos: “Não foi obra do acaso”.”Não Vá Colher em Outro Campo” Rt 2:8- Boaz, estava pretenso a ajudar Rute, se ela fosse colher em outros campos, a beneficência, não se completaria. Ele, se agradou de Rute: “Por que achei graça em teus olhos, para que faças caso de mim sendo eu uma estrangeira?” Rt 2:10. É assim conosco. Deus, se compadece de nós, quando somos ainda pecadores” Rm 5:8. Rute, era moabita e Moabe, representava as vontades humanas, contrárias às Divinas. Uma estrangeira, abrigada em Cristo (campos de Boaz). Existem muitos “moabitas” desfrutando da graça Divina, mesmo sem se aliançar com ela, sem fazer um compromisso de fidelidade. Deus, não faz acepção de pessoas, sua vontade, porém, é de que “os estrangeiros” se tornem cidadãos do Reino, naturalizados filhos, herdeiros, isto, só se torna possível quando “abandonamos os outros campos”, e nos abrigamos nos campos de Boaz. E é o próprio Cristo quem diz: “Não vá colher em outro campo”.O Remidor, figura de Cristo: Boaz, era da família de Elimeleque, uma esperança para Rute e Noemi: “este homem, é nosso parente chegado, um dentre os nossos remidores”. Remir, significa: Tirar do cativeiro, do poder alheio, resgatar, compensar, expiar, salvar. Boaz, representava tudo isto para elas. Havia outro remidor com parentesco mais próximo. Tinha prioridade. Ao ser consultado disse: “Não a poderei redimir”. Este, jamais poderia fazê-lo, porque Rute, agora, estava nos campos de Boaz. Boaz, representa Cristo, Único, Verdadeiro Remidor da humanidade.O Resgate: Boaz, resgata Rute, casa-se com ela e suscita a descendência que parecia ter sido perdida. Este É O Deus Todo Poderoso!! Quando tudo parece estar perdido, sem vida, Ele torna tudo novo! Somente Ele, pode ser este Remidor.Saindo dos Campos de Moabe, para os Campos de Boaz: Você já peregrinou em Moabe? Eu já. Se hoje, tenho vida abundante e certeza da salvação, é porque Deus me deixou “colher molhos de espigas nos campos de Boaz” : “E deixai cair alguns punhados, e deixai-os ficar para que os colha, e não a repreendas” Rt 2:16. Boaz, ordenou que Rute colhesse livremente as espigas, inclusive as que caissempropositadamente ao chão. Ela sequer havia sido remida! Já desfrutava da graça, da bondade Divina. Aquele campo, se tornou agradável para Rute. Ela se sentiu segura, amada, livre! Assim me senti, ao olhar para a cruz. Vi o meu Remidor! Ele É para mim, como os campos de Boaz!A maravilhosa história se encerra com a genealogia de Davi. “Boaz, gerou a Obedeque gerou Jessé, que gerou Davi” Rt 4:22. Um triste começo de peregrinação nos campos de Moabe, transformado com a estadia gloriosa de Rute, nos campos de Boaz, representando a redenção, a graça salvadora. Deixe de peregrinar nos campos de Moabe e se abrigue nos campos de Boaz e verás, a maravilhosa graça que redime a todo e qualquer homem do pecado. Que Deus nos abençoe! A Ele nossa gratidão.

Zaqueu desce da Figueira

Não sei se você já esteve em meio a multidão tentando ver alguém famoso. É comum, pessoas empurrarem e competirem por melhores lugares a fim não apenas de ver , mas também de ser visto. O encontro de Jesus com Zaqueu se deu nessas condições. Jesus estava em Jericó e uma multidão O seguia para receber , ver milagres e disputar Sua atenção. Era praticamente impossível para alguém de baixa estatura e pouca popularidade, se manter em destaque entre tantas pessoas. Zaqueu era esse protótipo de homem que se perderia facilmente, passaria desapercebido ou quem sabe, seria pisoteado ao se misturar na multidão.“E, tendo Jesus entrado em Jericó, ia passando. E eis que havia ali um homem chamado Zaqueu; e era este um chefe dos publicanos, e era rico. E procurava ver quem era Jesus, e não podia, por causa da multidão, pois era de pequena estatura. E, correndo adiante, subiu a um sicômoro bravo para o ver; porque havia de passar por ali. E quando Jesus chegou àquele lugar, olhando para cima, viu-o e disse-lhe: Zaqueu, desce depressa, porque hoje me convém pousar em tua casa. E, apressando-se, desceu, e recebeu-o alegremente. E, vendo todos isto, murmuravam, dizendo que entrara para ser hóspede de um homem pecador. Lucas 19: 1-7Zaqueu era um homem muito rico, sua fortuna era resultado de trabalho e também de fraudes. Era chefe dos publicanos e superfaturava a cobrança de impostos que fazia para o governo romano. Era judeu, e apesar do prestigio social alcançado e da incontestável capacidade de liderar, sua presença não era das mais desejáveis: Um baixinho avarento e ganancioso que em nada se parecia com seu nome “Zaqueu” no hebraico, uma variação do nome Zacarias, significando “puro”. Diante do histórico do moço, é provável, que fosse “detonado” pelos olhares e gestos ao ser notado entre os seguidores de Jesus.E como todo líder comercial é dado a estratégias de marketing, Zaqueu não hesita em planejar uma maneira de ver a Jesus. A passagem Dele em Jericó, era um acontecimento ímpar. Quem era o tão comentado carpinteiro que transformava a vida das pessoas? Zaqueu queria saber, conhecer de perto. Seria a atitude dele de fé ou de curiosidade? Eu diria que ambas as coisas. Algo já incomodava o pequeno publicano, no íntimo. Caso contrário, por que se arriscar tanto? Zaqueu estava curioso, mas ao mesmo tempo, fora despertado na fé , acreditava ser Jesus alguém especial capaz de realizar milagres.E lá vinha Jesus, cercado de seguidores. Zaqueu corria pelas laterais, fazia zigue-zagues, esticava o pescoço e nada de chegar perto do Mestre. Ele então corre rapidamente para se adiantar aos demais e sobe em uma figueira brava. Esse tipo de árvore, tem copa farta, muitas folhas e não é tão alta. É interessante que a figueira escondia a Zaqueu, ele podia ver sem ser visto. Ao parar embaixo da árvore para falar com Zaqueu, Jesus demonstra sensibilidade e onisciência. Seu olhar foi muito além dos acontecimentos. As pessoas devem ter sorrido, zombado do baixinho pendurado no galho, mas a reação de Jesus é diferente e espanta a todos: “Zaqueu, desce depressa, vou para sua casa”!Os murmurinhos da multidão eram de reprovação: “Como assim, repousar na casa desse ladrão? Ele não merece essa honra, tem afligido a muitos de nós!”. Jesus não estava preocupado em ser popular, em agradar a maioria, Ele queria salvar a Zaqueu, regar a semente de fé que já brotava em seu interior. O cobrador de impostos, deixaria de ser figueira brava, para ser figueira de vide excelente!Jeremias 2:21 Eu mesmo te plantei como vide excelente, da semente mais pura;como, pois, te tornaste para mim uma planta degenerada, como de vide brava?Zaqueu, o puro, precisava retornar a sua essência e aquele encontro era a chance. Não sabemos como foi o diálogo de Jesus com Zaqueu no percurso até sua casa, o certo é que o baixinho fora profundamente marcado. Todos os que buscam Jesus são de fato, transformados através do diálogo, do encontro. A ordem de Jesus: “Zaqueu, desce da figueira” também pode ser traduzida como: “ Zaqueu, abandona essa vida , larga esses métodos corruptos, falhos, esses frutos imprestáveis”. Posição social elevada não é requisito de santidade. Status não compra salvação. Ainda que seja o mais influente dos homens, é preciso se humilhar diante de Deus para ser exaltado. “Porquanto qualquer que a si mesmo se exaltar será humilhado, e aquele que a si mesmo se humilhar será exaltado.” Lucas 14:11. Desce, Zaqueu, deixa a figueira brava!Jantar na casa de alguém em Israel, era um costume que indicava amizade, cordialidade. Jesus, ao se oferecer para ir a casa de Zaqueu demonstra todo seu carisma e pacifismo. Jesus é irresistível como amigo, porque é verdadeiro e sem preconceitos! Que grande alegria tenho em saber que não existe fronteira, muro, obstáculo de qualquer espécie que impeça Jesus de chegar até nós -a não ser nós mesmos! Jesus escolhe Zaqueu sem se importar com as criticas. E por que o escolhe? Porque existia um desejo no coração de Zaqueu em ser transformado. Ninguém conseguiu ver isso. Para todos, ele era irrecuperável e merecia mesmo era castigo e desonra. Jesus viu. Nada há que esteja oculto aos Seus olhos, nem mesmo um pequenino homem acomodado entre a copa de uma figueira!E, levantando-se Zaqueu, disse ao Senhor: Senhor, eis que eu dou aos pobres metade dos meus bens; e, se nalguma coisa tenho defraudado alguém, o restituo quadruplicado. E disse-lhe Jesus: Hoje veio a salvação a esta casa, pois também este é filho de Abraão .Porque o Filho do homem veio buscar e salvar o que se havia perdido. Lucas 19:8-10.A declaração de Zaqueu é de arrependimento, agora ele conhecia Jesus de fato, não apenas de vista. Agora Zaqueu era o puro e não o caloteiro. Era figueira excelente e não a brava (na qual se apoiou a vida inteira). Ele estava se voluntariando para restituir além do que exigia a lei. Levítico 6:5 “… ou qualquer coisa sobre que jurou falso; por inteiro o restituirá, e ainda a isso acrescentará a quinta parte; a quem pertence, lho dará no dia em que trouxer a sua oferta pela culpa.” Ao invés de restituir um quinto, ele restituiria quatro vezes mais! È certo que a prática da defraudação não lhe seria mais própria e aqueles que já haviam sido prejudicados seriam recompensados. Um novo homem, uma nova vida!A vida de Zaqueu e seu encontro com Jesus nos ensina muitas coisas, entre as quais:É preciso buscar um encontro real com Jesus, não basta ouvir falar ou acompanhar de longe.A transformação verdadeira do ser advém desse encontro em que o arrependimento se faz necessário e é consequência do relacionamento espiritual profundo com Deus.Ao olhar para Jesus, nossas limitações são vencidas, obstáculos são superados.O pecado não é capaz de conduzir a uma vida de paz.Obedecer ao chamado de Deus implica renunciar a práticas antigas .Jesus capacita os escolhidos para além do que olhos possam ver e ouvidos ouvir.Jesus não faz acepção de pessoas.É verdade, muitos de nós, mesmo andando com Jesus, desacreditamos na conversão de Zaqueus, figueira brava.“Descer da figueira”: se humilhar perante Deus, confessar a culpa, abandonar o mundo.Zaqueu, cujo nome significa puro, retorna a essência ao deixar Jesus entrar em seu coração.O pecado corrompe, Jesus limpa para sermos quem Ele quer que sejamos.Escolher obedecer a Deus pode implicar em frustrar a popularidade.

Água para casamento

download (3)
“Disse Jesus: Enchei de talas talhas. E encheram-nas até em cima ”João 2: 7Jesus percorrido cerca de 12 quilometras, de Nazaré a Caná da Galileia, para participar de uma festa de casamento. Uma grande festa, um julgar pela quantidade de convidados. E a melhor coisa que poderia ter acontecido ao casal de noivos dia de festa, seria uma presença de Jesus na cerimônia.Bem, depois disso viria uma lua de mel, mais feliz e tranquila, depois do milagre realizado por Jesus naquela ocasião: em vinho. É acaba em festa, o vinho acaba. E esta era uma bebida principal para acompanhar as refeições servidas. Se os autores não são mais donos de vinho, certamente dariam um logo para os noivos e iriam para suas casas, quem sabe comentando sobre a falta de organização e escassez de recursos da família. Pela descrição do milagre, apenas o evangelho de João, além dos noivos, somente Maria e os trabalhadores da cozinha estão sabendo sobre não ter mais vinho. O mesmo é mestre, responsável por coordenar o atendimento dos negócios que parece ter conta do problema. Signal that a provison de Jesus chegou no momento oportuno, tão eficazmente que não progrediu no andamento do evento.Todos os exercícios na casa dos noivos “E todos os seis postes de pedra, para as purificações dos judeus, e em cada uma das cabeceiras dos dois três almudes. João 2: 6: As mãos eram bacias de pedra para purificação externa dos judeus: lavar as mãos e pés. Ficava na entrada da casa para facilitar o uso. Esse hábito representava além da higiene, hospitalidade. “Almude” era uma unidade de medida para líquidos, em especial vinhos. O valor de um almudema varia de região para região, mas era geralmente entre 16 a 25 litros. Se cada talha tinha capacidade para dois ou três refrigerantes, como seis talhas em Caná, cerca de 450 litros de água disponível para o ritual de limpeza dos hóspedes. Quando o vinho acaba, Jesus pede aos alunos para encher todas elas. Não se preocupou com a produção de água quente, mas sim com água quente e água quente para depois transformar-se em vinho. O Evangelho diz claramente that Jesus asked for encher as talhas totalmente (João 2: 7), toda a capacidade dos destinatários. Talhas são deslocadas para um lugar reservado, distante da vista dos convidados e Jesus realiza o milagre da transformação.Um novo significadoAs talhas representam a vida de cada um. Os rituais: as tradições, esforços para se tornar alguém melhor e mais feliz. O mestre sala, seria o tempo. Aquele que nos oferece oportunidades de ganhar novas coisas. Essa rotina que aparenta tudo, mas na verdade, precisa ser transformada. Consideraram que o milagre foi realizado em uma festa de casamento e há muitos casamentos que não estão parecendo uma essa cerimônia em Caná na Galileia? Talhas são impuras, com água regimes, rotas e inúteis. O vinho, a alegria, ficou passado, não começou a se relacionar ou não sabe ao certo onde. O mestre sala (rotina) acomodou-se em trajes, e a festa teve lugar, apesar da infelicidade, por sua vez por justo. Se o que você quer saber é que ele tirou uma água) chamou o noivo para elogiar a qualidade do vinho: Depois disso, o vinho nasceu e depois de ter sido saciado, então vem o vinho inferir. Mas tu guardaste a boa noite até agora ”João 2: 9.O Sr. rotina julga as coisas como elas são madeiras novas. Não há nada de errado em conservar uma rotina, desde que ela traga felicidade a quem vive e quem vive, agrade a Deus. Mas há rotinas que provocam tristeza, “falta de vinho” .Mas Jesus volta o olhar para talhas e as suas realiza o milagre. Preciso derramar a água velha e despejar uma nova para que viesse o bom vinho. Água impura equivale a relação também impuro: infidelidade, imoralidades, lascívia, ausência do Espírito Santo. Honrado seja entre todos o matrimônio e o leito sem mácula (puro, limpo, honesto, sem pecados). (Hb 13: 4) Os pedidos de festa em Caná, obedecer a tudo o que é dito, colaborando assim para a realização do milagre. Essa comunhão é necessária em nossas vidas. O saber que existe harmonia e paz dentro dos lares, a comunicação para os melhores esforços. Essa lição fica para nós. Menos acusação e mais cooperação, diálogo, amor e serviço. Menos de nós e mais de Jesus.A sequência do EvangelhoExiste toda uma ligação entre os capítulos seguintes nas Bodas em Caná. Depois da água transformada em vinho, simbolizando nova vida, João narra ‘A purificação do Templo em Jerusalém, O novo nascimento, a Soberania de Deus e a coisa é tão implacável: “Jesus retorna a Galileia e o caminho encontra a mulher samaritana e fala sobre a água da vida”. Vejam que a harmonia sensitiva entre o primeiro milagre de Jesus e os demais capítulos! “(João 4: 3 a 6) E qual era o problema desta mulher? Lascívia, sensualidade, adultério. Um leito totalmente comprometido pelo pecado, cinco maridos e um romance em andamento com um homem casado. A beira do poço, ao meio dia, para os olhos e os murmúrios das pessoas, a sua fama não era nada boa. Ela era instável, infeliz, tinha um vazio de Deus no seu interior. Vem Jesus e a diz: “Se beber a água que eu te der, nunca mais terços sede” (João 4:14). O sentido era: É preciso nascer de novo, se deseja purificar pela ação do Espírito Santo e comunhão com Jesus para alcançar estabilidade e felicidade. Era preciso “limpar como talhas”, que pode ser encontrado na Caná da Galileia. Jesus, que ela pode se mudar, é uma coisa que você pode imaginar. Isso aconteceu conosco. Nos unimos a alguém na esperança de que o outro seja feito feliz, mas a Bíblia diz que é um relacionamento conjugal, os dois formam uma só carne (Marcos 10: 8) também feliz. E essa é uma mensagem para os casais: Água para o nosso relacionamento. Purificação das talhas. Para que os dias não fiquem regrados por rotinas e trajes.

É hora de largar o saleiro e ser o sal

Mateus 5:13″Vós sois o sal da terra; e se o sal for insípido com que se há de salgar? Para nada mais serve, senão para se lançar fora e ser pisado pelos homens” Mateus 5:13.Interessante perceber o quanto Jesus fez uso de metáforas para ser melhor compreendido por seus ouvintes. Como palavras tão simples, soam tão profundas? Elas penetram na alma como espada de dois gumes, Hebreus 4:12; “Pois a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais afiada que qualquer espada de dois gumes; ela penetra até o ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e julga os pensamentos e as intenções do coração.

” E assim, com simplicidade e poder o que está escrito permanece para todo o sempre, revirando o interior do homem, provocando transformações. E quem quiser ser discipulo, deve largar o saleiro e ser ele mesmo o sal. Porque sem transformar a si mesmo, não há como transformar o mundo.É fácil relacionarmos a fala de Jesus sobre sal e discipulo, considerando que comida sem sal é insossa, sem gosto e discipulos de Jesus devem ser notados como pessoas que fazem diferença, “salgam” os ambientes. Simples.

Mas dessa parábola, podemos extrair “outros saborosos pratos” que nos servirão de alimento . Assim, prossigamos a mergulhar nos aceanos da graça Divina em busca de sal para temperar nosso espírito.O salEstá presente em quase todo o planeta: oceanos, nascentes, subterrâneos, vegetação. Temos sal em todos os líquidos orgânicos: lágrimas,saliva, urina e no sangue, cujo teor é de 6,5 g de cloreto de sódio por litro. Respeitados os limites aconselhados pela profilaxia médica, o sal é-nos, assim, absolutamente indispensável, a nós e aos animais, em cujas rações também se inclui o sal.

Além de cair bem ao nosso paladar, o sal é uma necessidade vital. Sem sódio, o organismo seria incapaz de transportar nutrientes ou oxigênio, transmitir impulsos nervosos ou mover músculos – inclusive o coração.Sal, salada, salárioDe tão essencial, o direito ao sal chegou a ser garantido pelo Estado. Os romanos, apesar de não manterem monopólio sobre o sal, subsidiavam seu preço para garantir que os plebeus tivessem acesso a ele. “Sal para todos” era um lema romano.

Foi nessa época que surgiu a palavra “salada”, pois havia o costume de salgar os vegetais para amenizar o amargor de alguns deles. A ausência do saleiro numa mesa romana era um sinal de inimizade.Da mesma forma que deveria estar disponível para o cidadão comum, o sal era imprescindível para os legionários que conquistavam e mantinham o gigantesco império.

Tanto que os soldados chegavam a ser pagos em sal, de onde vêm as palavras “salário”, “soldo” (pagamento em sal) e “soldado” (aquele que recebeu o pagamento em sal).Na Bíblia2 Crônica 13:5 – Porventura não vos convém saber que o Senhor Deus de Israel deu para sempre a Davi a soberania sobre Israel, a ele e a seus filhos, por uma aliança de sal?Levítico 2:13 – E todas as tuas ofertas dos teus alimentos temperarás com sal; e não deixarás faltar à tua oferta de alimentos o sal da aliança do teu Deus; em todas as tuas ofertas oferecerás sal.

Marcos 9:49 – Porque cada um será salgado com fogo, e cada sacrifício será salgado com sal. (No juízo final).Gêneses 19:26 E a mulher de Ló olhou para trás e ficou convertida numa estátua de sal”. Gêneses 19:26E o sal nosso de cada diaAntigamente pela dificuldade de acesso e extração, o sal chegou a ter seu valor de mercado equiparado ao ouro. Acordos de guerra e paz foram selados à base dessa mercadoria.

Indía e Inglaterra que o digam. O sal continua tendo muito valor, pois planeta sem sal equivale a planeta sem mar, mar sem àgua (?). Sal é vida, mas em sua quantidade ideal, perfeita como bem dosada por Deus. Nem em excesso, nem em falta. Coloquemos sal demais em qualquer alimento que o sabor se corrompe, amarga, estraga. E sem sal, sequer percebemos o sabor.Se o sal for insípido, disse Jesus, só servirá para ser pisado pelos homens. Parece uma contradição essa frase, como pode sal ser insípido? Pode, se o sal perder suas propriedades naturais, isso acontece quando a ele são adicionadas outras substâncias. Sal, serviu de salário, de remédio, de aliança. Serviu de parábola dita pelos lábios de Jesus para nos advertir sobre os males advindos da contaminação do mundo.

Desde criança, sempre ouvi falar no poder curador do sal. Minha avô receitava banho de mar para sarar feridas. e essa função é comprovada pela medicina, uma simples receita de soro caseiro, contendo sal e açucar salva muitas vidas. Baseado no fato de que trabalhadores de minas de sal, têm maior resistência respiratória, foram desenvolvidos tratamentos à base de sal nessa área.

Isso também nos diz sobre ser discipulo sal, aquele que cura vidas ao propagar a Palavra de Deus, o Evangelho de forma simples e genuína. Significa que algumas vezes, as feridas vão arder, vão sangrar mais, para deixarem de sangrar um dia.Ser sal da terra é conhecer os limites fronteiriços entre terra e água, é saber que é necessário “peneirar, filtrar, decantar” muitas coisas que podem deteriorar a essência. Assim como salário vem de sal, e trabalhador tem direito a justo salário, pode-se dizer que ser sal é praticar justiça e a Justiça, é Cristo (Rm 1:17). Paradoxo do salSe sal é vida, cura, revelador de essências, também pode ser motivo de perdas e doenças.

A falta e o excesso geram distúrbios. Discípulo de Jesus deve ser esse a andar pelo centro do caminho, de forma prudente e equilibrada, tal como foi advertido em certo tempo a Josué: “Não se desvie nem para direita, nem para esquerda” Josuè 1:7. Nem sal de mais, nem de menos. O mar que tem excesso de salinidade, chama-se Mar morto, dez vezes mais sal que os demais, por essa causa é impossível que haja vida em suas águas: nem peixes, nem plantas. O mar com escasses de sal, chama-se Báltico e fica na Alemanha, as descargas de água “doce” que recebe, causa uma diluição da água salgada e a temperatura da água, bem como suas condições adversas, proporcionam maior nível de poluição e o Báltico sofre com isso.Hipertensão é o que causa o excesso de sal no organismo. Já a falta de sal, ou sódio, no corpo humano, pode gerar Hiponatremia.

O equilibrio dos níveis de sal é saúde. Da mesma forma, o equilibrio da quantidade de sal no planeta gera preservação, além disso vai e vem destruição.O sal que salga, na medida…E nos perguntamos: como saber a medida certa do sal, como ser o sal da terra sem falta ou excesso? Vejamos como funciona o processo de extração do sal: colheita da água do mar, concentração das águas, cristalização, retirada do sal e beneficiamento: Lucas 14: 34,35 ” é o sal; mas, se o sal degenerar, com que se há de salgar? Nem presta para a terra, nem para o monturo; lançam-no fora. Quem tem ouvidos para ouvir, ouça.

“Se o sal fica parado em seu habitat natural ele preserva o meio mas não se torna próprio para o consumo. O sal da terra necessita ser beneficiado. Ser discipulo de Jesus, ser sal na medida certa, é esse que se cristaliza no processo de beneficiamento. Caso contrário, somente servirá para ser pisado. Discipulo sal da terra, sem excesso ou faltas é aquele que retirado da água (do batismo), da terra ( conversão), se cristaliza (purificação) para dar sabor a si mesmo e ao mundo. A medida certa é Cristo em nós porque ninguém é justo e bom, a não ser pela justiça de Cristo em si mesmo. A mulher de Ló…Convertida em estátua de sal, por causa do pecado, do amor a Sodoma e Gomorra e do desprezo a Deus. Uma lição que ficou estampada para eternidade, como exemplo de alguém que teve saudade do passado de práticas erradas. Jesus advertiu: “Lembrai-vos da mulher de Ló” (Lucas 17:32) é para lembrar de esquecer o que nunca deveria reviver. A mulher de Ló é um monumento eterno do excesso de sal, de corrupção pelo mundo. O sal era uma das principais mercadorias de Sodoma, o comércio desse produto, movimentava a economia local, mas um dia Deus fez cair do céu fogo, como descrito em Marcos 9: 49; “Porque cada um será salgado com fogo, e cada sacrifício será salgado com sal (juízo).

E no juízo, o sal devolve a cada um seu real sabor, sua essência contaminada ou purificada. Lembremos da mulher de Ló e prossigamos no processo de purificação, mesmo que doa, que sangre, mas as feridas precisam ser curadas, devolvendo a saúde do corpo e da alma. O processo de salinização precisa ocorrer, caso contrário, o excesso de sal faz o que fez com a esposa de Ló. É isso, o que se pede de cada um de nós é que retornemos a essência para o qual fomos criados, sem excessos, sem faltas, mas na medida certa com Cristo.Deus nos abençoe.

Batalhas que Enfrentamos Durante a caminhada Cristã

E também todos os que piamente querem viver em Cristo Jesus padecerão perseguições.” II Timóteo 3:12 A Palavra do Senhor é clara em enfatizar que não é fácil seguir a Cristo. Vivemos em um mundo que nos odeia devido ao amor de Jesus e porque somos escolhidos para uma vida plena ao Seu lado. Servir a Deus e seguí-Lo implica em conhecermos que seremos perseguidos, afrontados e enfrentaremos verdadeiras batalhas até alcançarmos a redenção completa no céu.Desta maneira quero salientar aqui quatro principais batalhas que todo cristão enfrentará durante sua caminhada com Jesus. Uns sofrerão mais em alguns pontos que destacarei, outros sofrerão menos mas, invariavelmente, todos sofreremos com os combates. Espero que através desse estudo a sua Fé seja fortalecida e você possa ter mais garra e esperança combatendo contra os seus inimigos em Cristo Jesus!

1- A Batalha contra a Própria Natureza

“Digo, porém: Andai em Espírito, e não cumprireis a concupiscência da carne. Porque a carne cobiça contra o Espírito, e o Espírito contra a carne; e estes opõem-se um ao outro, para que não façais o que quereis.” Gálatas 5:16-17 Todos aqueles que aceitaram a Jesus Cristo como seu Único e Suficiente Salvador terão que enfrentar uma dura batalha em seu próprio ser, que a Bíblia chama de CARNE. Os desejos sexuais, a avareza, os vícios, a mentira, o ódio e outras coisas semelhantes a essas lutam contra o Espírito que todos recebem ao declararem o Senhor e, então, verdadeiros confrontos são travados. Quantas vezes você já pensou em se vingar, mas renunciou por amor a Deus? Quantas vezes você desejou mentir para encobrir um erro e fugir do problema? Em quantas oportunidades esteve só com sua/seu namorada(o) ou noiva(o) e renunciou ao ato sexual apesar de seu próprio desejo? Esses e outros exemplos demonstram a lutam diária que enfrentam os servos de Deus, que decidiram abdicar da sua própria natureza para cumprir a vontade do Senhor expressa através de Sua Palavra. É por isso que na passagem citada acima Paulo declara que a carne e o Espírito OPÕEM-SE um ao outro. Talvez esta seja a batalha mais dura enfrentada por amor a Cristo: RENUNCIAR A SI MESMO, como disse Jesus em Mateus 16:24: “Então disse Jesus aos seus discípulos: Se alguém quiser vir após mim, renuncie-se a si mesmo, tome sobre si a sua cruz, e siga-me”. Qual é a renúncia que você tem feito por amor de Cristo? Não existe evangelho sem renúncia, nem vida cristã sem o carregar da cruz. Por isso também disse o apóstolo João aos discípulos em I João 2:6: “Aquele que diz que está nele, também deve andar como ele andou”. Andar como Jesus é ter uma vida parecida com a do Mestre, rejeitando as obras da carne e “andando em Espírito” Gálatas 5:16a.

2- A Batalha contra os Próprios Familiares

“Porque eu vim pôr em dissensão o homem contra seu pai, e a filha contra sua mãe, e a nora contra sua sogra; e assim os inimigos do homem serão os seus familiares.” Mateus 10:35-36 Outra oposição que a maioria dos cristãos enfrenta vem da própria família. Pais que não compreendem a fé dos filhos, filhos que não compreendem a fé dos pais, mulheres que não compreendem a fé dos seus maridos… Geralmente os que estão mais próximos de nós são aqueles que mais nos criticam por buscarmos a Jesus, pois conheceram nossa história e sabem do nosso passado. Não conseguem compreender o que está escrito em II Coríntios 5:17: “Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo” e zombam, duvidam de nossa mudança e intenções. Por isso Jesus continua em Mateus 10:37 e diz: “Quem ama o pai ou a mãe mais do que a mim não é digno de mim; e quem ama o filho ou a filha mais do que a mim não é digno de mim”. O nosso maior amor a Deus é manifesto quando, apesar de perseguidos pelos nossos familiares mais próximos, continuamos firmes na Fé, buscando cada dia mais ao Senhor de nossas almas. Essa batalha é tão séria e real que nem mesmo Jesus era acreditado pelos de sua família. Veja o que está escrito em João 7:3-5: “Disseram-lhe, pois, seus irmãos: Sai daqui, e vai para a Judéia, para que também os teus discípulos vejam as obras que fazes. Porque não há ninguém que procure ser conhecido que faça coisa alguma em oculto. Se fazes estas coisas, manifesta-te ao mundo. Porque nem mesmo seus irmãos criam nele”. Os irmãos de Jesus pensavam que ele queria se mostrar, se auto-exaltar, e lhe disseram para se apresentar na região da Judéia. Desta maneira, ele era incompreendido pelos seus próprios parentes, uma vez que em Filipenses 2:5-8 diz que: “De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus, mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens”. Jesus nos deu o maior exemplo de humildade, tornando-se homem como nós, sendo sujeito às mesmas fraquezas que todos temos. Ele não tinha o interesse de se auto-exaltar, mas de salvar os pecadores, através de sua simplicidade e humildade de coração, pelo derramar de seu próprio sangue. Assim sendo, se você está carregando um fardo pesado de acusações, críticas e zombarias de sua família, não esmoreça na fé. Lembre-se que o próprio Mestre e Senhor de nossas vidas também passou por essa batalha e, assim como Ele venceu, você certamente vencerá. Persevere e obterá a vitória!

3- A Batalha contra o Sistema do Mundo

“Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo.” I João 2:15-16 Todo cristão fiel também enfrentará duras batalhas contra o sistema do mundo, dominado pelo diabo. Como a maioria dos convertidos não nasceu em lares cristãos, para os tais essas lutas agravam-se devido ao “costume do mundo”. Por exemplo, para o mundo é normal uma pessoa revidar toda vez que é atacado por alguém. Mas a Palavra de Deus nos ensina que “ao que te ferir numa face, oferece-lhe também a outra; e ao que te houver tirado a capa, nem a túnica recuses” Lucas 6:29. Uma pessoa criada segundo os moldes desse mundo, quando se converte ao Evangelho de Jesus, enfrentará oposições dos amigos e colegas do trabalho, terá que renunciar a certos convites tentadores, porém contrários à fé, será apontado por todos aqueles que o conheceram antes de abraçar o cristianismo, os quais trarão à memória seus feitos do passado… Quando você se sentir apontado, acusado, tentado em seu ambiente de trabalho, imcompreendido por aqueles que se diziam seus amigos, saiba que ESTÁ NO CAMINHO CERTO. Veja o que disse Jesus acerca disso em Lucas 6:22-23: “Bem-aventurados sereis quando os homens vos odiarem e quando vos separarem, e vos injuriarem, e rejeitarem o vosso nome como mau, por causa do Filho do homem. Folgai nesse dia, exultai; porque eis que é grande o vosso galardão no céu, pois assim faziam os seus pais aos profetas”. Por isso continue firme, mantenha-se de cabeça erguida! Mostre sua diferença em relação a esse mundo, sem ter medo das consequências nem dos obstáculos, pois o seu galardão no céu certamente será grande!

4- A Batalha contra o diabo

“Sede sóbrios; vigiai; porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar” I Pedro 5:8 Por fim a batalha mais ferrenha, que está diretamente relacionada com as três outras batalhas citadas aqui, é a batalha contra o inimigo de nossas almas. Algumas batalhas citadas nesse estudo podem durar algum tempo da vida cristã, mas a batalha contra o diabo deve durar todo o tempo em que estamos nesse mundo. Essa luta não cessa, pois o inimigo não pára de tentar minar a nossa fé e esperança, afastando-nos do Senhor. É o inimigo que incita nossos sentidos para o mal (A Batalha contra a Própria Natureza), levanta nossa parentela contra nós (A Batalha contra os Próprios Familiares) e que usa nossos amigos, colegas de trabalho e situações do dia a dia para nos fazer errar (A Batalha contra o Sistema do Mundo). A Palavra diz que ele é mentiroso e homicida: “Vós tendes por pai ao diabo, e quereis satisfazer os desejos de vosso pai. Ele foi homicida desde o princípio, e não se firmou na verdade, porque não há verdade nele. Quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso, e pai da mentira” João 8:44. A Palavra diz que ele é ladrão: “O ladrão não vem senão a roubar, a matar, e a destruir” João 10:10a. A intenção do maligno é nos arrastar com ele para o inferno, visto que já está condenado: “E o diabo, que os enganava, foi lançado no lago de fogo e enxofre, onde está a besta e o falso profeta; e de dia e de noite serão atormentados para todo o sempre” Apocalipse 20:10. Mas, você deve estar se perguntando, como eu posso vencer essa batalha, que se estende durante a nossa caminhada cristã? Bem, durante o estudo eu fui dando as dicas, mas agora reunirei a todas aqui. Quando citei o livro de I Pedro, capítulo 5, versículo 8, no início desta quarta parte, não me referi ao complemento do versículo 8, que é o versículo 9. Leia agora a passagem completa: “Sede sóbrios; vigiai; porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar; ao qual resisti firmes na fé, sabendo que as mesmas aflições se cumprem entre os vossos irmãos no mundo” I Pedro 5:8-9. Para vencer as batalhas citadas aqui você deve estar FIRME NA FÉ. Tal firmeza é obtida através de conhecimento da Palavra de Deus: “De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus” Romanos 10:17; através da congregação na igreja: “Não deixando a nossa congregação, como é costume de alguns, antes admoestando-nos uns aos outros; e tanto mais, quanto vedes que se vai aproximando aquele dia” Hebreus 10:25; através de boas obras: “Meus irmãos, que aproveita se alguém disser que tem fé, e não tiver as obras? Porventura a fé pode salvá-lo? E, se o irmão ou a irmã estiverem nus, e tiverem falta de mantimento cotidiano, e algum de vós lhes disser: Ide em paz, aquentai-vos, e fartai-vos; e não lhes derdes as coisas necessárias para o corpo, que proveito virá daí? Assim também a fé, se não tiver as obras, é morta em si mesma” Tiago 2:14-17. Outra ferramenta para vencer as batalhas é a PERSEVERANÇA. Perseverar significa continuar firme, prosseguir, avançar. É ter paciência que a recompensa virá. É tão importante a perseverança que o apóstolo Paulo explicou o que ela pode originar em Romanos 5:3-5: “Não somente isto, mas também nos gloriamos nas tribulações, sabendo que a tribulação produz perseverança; e a perseverança, experiência; e a experiência, esperança. Ora, a esperança não traz confusão, porque o amor de Deus está derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado”. A perseverança ajuda o cristão a amadurecer, crescendo em experiências com Deus. Desta maneira, meus irmãos e amigos, enfrentem as batalhas, perseverando, porque Deus é fiel e não os deixará sozinhos. Ele ampara os seus! Outro instrumento útil, que ajuda na perseverança e até na fé, é saber o que Pedro disse em I Pedro 5:9b: “sabendo que as mesmas aflições se cumprem entre os vossos irmãos no mundo”. Não é somente você que passa por lutas e dificuldades. Não é somente você que sofre e amarga tempos difíceis na vida! Isso acontece entre todos os irmãos no mundo e certamente tem muita gente sofrendo mais do que você. Quando uma pessoa se fecha em seu problema, esse problema parece enorme demais, até intransponível. Mas, quando se abre os olhos e se vê em volta, observando as outras pessoas, os sofrimentos alheios e se decide ajudá-los, muitas vezes se nota que o problema não era tão grande assim como se pensava. Ampliem sua visão da vida meus irmãos e amigos. Não olhem somente para a sua situação particular, levantem a cabeça e observem em redor. Vejam os problemas alheios, as lutas dos demais. Mais do que isso: AJUDEM SEUS SEMELHANTES, que estão em sofrimento maior do que vocês. Fazendo isso, sua fé é fortalecida, boas obras subirão para memória diante do Senhor e até suas vitórias e felicidade serão alcançadas, pois a maior característica, que demonstra sermos servos de Deus, é o AMOR.Que Deus os abençoe em Nome de Jesus Cristo!

Josué 1:8

Josué 1:8.
8 Não se aparte da tua boca o livro desta Lei; antes, medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer conforme tudo quanto nele está escrito; porque, então, farás prosperar o teu caminho e, então, prudentemente te conduzirás.

Salmos 51

Salmos 51.
1 Tem misericórdia de mim, ó Deus, segundo a tua benignidade; apaga as minhas transgressões, segundo a multidão das tuas misericórdias. 2 Lava-me completamente da minha iniquidade e purifica-me do meu pecado. 3 Porque eu conheço as minhas transgressões, e o meu pecado está sempre diante de mim. 4 Contra ti, contra ti somente pequei, e fiz o que a teus olhos é mal, para que sejas justificado quando falares e puro quando julgares. 5 Eis que em iniquidade fui formado, e em pecado me concebeu minha mãe. 6 Eis que amas a verdade no íntimo, e no oculto me fazes conhecer a sabedoria. 7 Purifica-me com hissopo, e ficarei puro; lava-me, e ficarei mais alvo do que a neve. 8 Faze-me ouvir júbilo e alegria, para que gozem os ossos que tu quebraste. 9 Esconde a tua face dos meus pecados e apaga todas as minhas iniquidades. 10 Cria em mim, ó Deus, um coração puro e renova em mim um espírito reto. 11 Não me lances fora da tua presença e não retires de mim o teu Espírito Santo. 12 Torna a dar-me a alegria da tua salvação e sustém-me com um espírito voluntário. 13 Então, ensinarei aos transgressores os teus caminhos, e os pecadores a ti se converterão. 14 Livra-me dos crimes de sangue, ó Deus, Deus da minha salvação, e a minha língua louvará altamente a tua justiça. 15 Abre, Senhor, os meus lábios, e a minha boca entoará o teu louvor. 16 Porque te não comprazes em sacrifícios, senão eu os daria; tu não te deleitas em holocaustos. 17 Os sacrifícios para Deus são o espírito quebrantado; a um coração quebrantado e contrito não desprezarás, ó Deus. 18 Abençoa a Sião, segundo a tua boa vontade; edifica os muros de Jerusalém. 19 Então, te agradarás de sacrifícios de justiça, dos holocaustos e das ofertas queimadas; então, se oferecerão novilhos sobre o teu altar.

João 4:24

João 4:24.
24 Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade.

Sodoma e Gomorra: Porque elas foram destruída?

imagens (22) 1583326107..jpegSodoma e Gomorra são pequenos lugares da Bíblia. Sodoma era o lugar onde Ló, sobrinho de Abraão, inicialmente pintado viver. Em relação à área, Gênesis 13:10 nos diz que foi “muito bem regada …. como o jardim do Senhor”. Evidentemente, era uma terra muito rica e fértil. As pessoas eram, eram, pessoas ricas e seu nível de bem-estar era alto em relação a outras áreas. Eles não tinham sido escassos de alimentos ou água por uma terra fértil e bem regada. Foram essas características que atraíram a atenção do homem para habitar. Como Gênesis 13:10 nos diz: Ló “levantou os olhos e viu”, fazendo sua escolha de acordo com o que viu. No entanto, o que podemos ver por “que os nossos olhos”, embora possam parecer excelente, é Samuel, 16: 7. E, de fato, o que Vimos, era muito diferente do que o Senhor viu olhando para os corações das pessoas que viveram nesta terra. Realmente, em Gênesis 13:13, lemos:

Gênesis 13:13 “Mas os homens de Sodoma foram extremamente perversos e pecadores contra o senhor”

Apesar de ter visto a terra excessivamente fértil, o senhor viu um coração excessivamente sujos. Como ele diz em Gênesis 18:20:

Gênesis 18:20 “Porque o clamor contra Sodoma e Gomorra se multiplicou, porquanto o seu pecado é muito grave”

No final, depois que o Senhor salvou Ló, Ele destruiu Sodoma e Gomorra. When Ló estava deixando Sodoma, o conselho do senhor era exatamente o oposto do ele tinha feito no início:

Gênesis 19:17 “Então, quando eles trouxeram seu paea para fora, ele foi o seu próprio amigo!” Fuja pela sua vida! Não olhe para trás … “

When Ló escolheu Sodoma como sua mente, ele fez a sua escolha depois que ele “levantou os olhos e viu”. Agora ele estava a fugir e não deveria “nunca olhar para trás”. Depois da saída de Ló, o Senhor destruiu uma área.

No entanto, qual foi o pecado de Sodoma? Ezequiel 16: 49-50 nos diz o que viu

Ezequiel 16: 49-50 “Olha, esta foi uma iniqüidade de Sodoma, tua irmã: ela e sua filha tiveram a plenitude, plenitude de alimentos, e abundância de ociosidade, não fortaleceu a mão do pobre e fizeram necessitado além do mais se ensoberbeceram e cometeram abominação sobre de mim;

“Eu me impressionei com a plenitude de alimentos e abundância de ociosidade”, com o significado de “uma iniqüidade de Sodoma”. E, que ainda é o que é tudo o que é rejeitado, pelo menos aparentemente, isso não acontece com os outros dois: plenitude de alimentos e abundância de ociosidade (isto é, pessoas que vivem sem fazer nada, são ociosos). Em contrapartida, eles são muitas vezes somados, mesmo pelos cristãos, como metas. Claro que não digo que estar cansado e com fome. O que é que é uma fonte de plenitude de alimentos e vida, o contrário do mundo diz, NÃO É? Em contraste, o que é buscar o seu, o seu conteúdo e os seus propósitos. O centro eo fim da nossa vida não é sócio, e riqueza, mas fazer a vontade de Deus, conhecer e fazer conhecer o Pai e Seu Filho maravilhoso, o Senhor Jesus Cristo. Como Sodoma e Gomorra, o mundo será também um dia deixado de existir. E como o Senhor tirou Ló para aquele lugar e, em seguida, destruiu, assim também Ele foi para tirar este mundo, antes de fazer o que ele fez com Sodoma e Gomorra.

Vamos nós, portanto, estar vigilantes e preparados. O Senhor está vindo. E, como era também nos dias de Ló: Comiam, bebiam, compravam, vendiam, plantavam e edificavam; mas no dia do sadoma choveu fogo e do céu e os destruíam a tudo. o Filho do Homem por um ente querido . (Lucas 17: 28-33)

Lâmpada para os pés é a tua palavra, e luz para meu caminho

Na época do Antigo Testamento, era muito comum o uso da lamparina, para se obter luz artificial.O povo utilizava de uma lâmpada manual e rústica, primitiva, que era feita, geralmente, de uma vasilha de cerâmica, com um bico que continha um pavio.O pavio passava pelo bico até atingir e mergulhar no azeite, que ficava dentro da vasilha, e então se acendia.A luz produzida pela lâmpada, não era brilhante, mas suficiente para iluminar e ajudar a pessoa a encontrar e trilhar o caminho certo.No Salmo 119.105, o escritor compara a Palavra de Deus a uma lâmpada. A luz que a palavra emite, não visa cegar ou atrapalhar ninguém com um brilho intenso, mas antes simplesmente indicar com clareza e segurança o caminho a seguir.”Lâmpada para os meus pés é tua palavra, e luz para o meu caminho.” Salmos 119:105

Infelizmente muitos estão em escuridão. Estão perdidos, não conseguem enxergar o caminho da salvação. Sem a luz da palavra de Deus, tomam diversos caminhos, que conduzem a perdição.Alguns estão como o Filho Pródigo, caminhando atrás de prazeres carnais, envoltos em pecados, procurando satisfazer seus próprios desejos desenfreados, à margem da luz de Deus.Outros seguem os caminhos desta terra que, em sua maioria, buscam uma justificação e uma salvação pelos seus próprios méritos. Como as virgens loucas, envoltos na escuridão da religiosidade. Não possuem a luz, não a conhecem nem a reconhecem.Acreditam que uma autopunição, um castigo auto-imposto, um sofrimento, uma doutrina de homens é o caminho a ser trilhado. Daí partem preconceitos, exclusões e segregações em relação aos não religiosos.Há aqueles que chegam a explodir seus corpos com bombas para punir os considerados infiéis a sua religião. Quão densas trevas há por esse caminho! Quantos genocídios, matanças, destruição de vidas, de famílias inteiras por causa de uma suposta religiosidade!Quantas Cruzadas de proselitismo já não foram feitas por séculos afora! Quanta incompreensão de que é a palavra de Deus a lâmpada que ilumina o caminho correto!E quando permitimos que a luz da palavra penetre no nosso coração, logo se descortina um caminho de graça, perdão e misericórdia. Pois a palavra de Deus não veio pregar outra coisa, senão o Amor!

Esta palavra, que é a Lâmpada para nossos pés, a luz para o nosso caminho, encarnou um dia, se revestiu desta forma humana, e como homem habitou entre nós. Ninguém conseguiu ser tão humano como o verbo vivo e encarnado.Ninguém pregou mais os “direitos humanos” do que a palavra de Deus encarnada e viva. Ele veio para iluminar o caminho, sem ofuscar nossos olhos, mas com muito amor por nós, humanos.Falou-lhes, pois, Jesus outra vez, dizendo: Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida. João 8:12Quando essa luz entra em nosso ser, um caminho de paz, de amor e esperança se apresenta diante de nossos olhos. Essa luz é tão poderosa que nos modifica ao ponto de sermos totalmente reconstruídos por ela.Nasce uma nova criatura, onde a palavra de Deus passa a ser entendida e compreendida. E que felicidade é poder compreender esta palavra!O que era desde o princípio, o que ouvimos, o que vimos com os nossos olhos, o que temos contemplado, e as nossas mãos tocaram da Palavra da vida 1 João 1:1Quando compreendemos a palavra de perdão e misericórdia com a qual fomos alcançados, um verdadeiro culto, exultante alegria se manifesta na chama dessa lâmpada que arde continuamente no nosso íntimo.Essa alegria se manifesta em nós, e muitas vezes com lágrimas nos olhos, ao lermos a palavra, agradecemos: muito obrigado Senhor, pela sua palavra, a verdadeira lâmpada para os meus pés.Achando-se as tuas palavras, logo as comi, e a tua palavra foi para mim o gozo e alegria do meu coração; porque pelo teu nome sou chamado, ó SENHOR Deus dos Exércitos. Jeremias 15:16E muitos profetas, reis e sacerdotes manifestaram uma grande alegria em receber a palavra de Deus. Como é bom conhecer e meditar a palavra! É como se formasse, em nosso interior, um rio de de águas vivas, que correm para a vida eterna!Tudo neste mundo terá um fim, mas os que permanecem na palavra de Deus, nunca passarão!Passará o céu e a terra, mas as minhas palavras não passarão. Marcos 13:31Assim, convido a todos a ler, meditar e estudar esta palavra. Leia, medite, estude! Você só tem a ganhar! Procure ler também os textos em hebraico, estude um poquinho de hebraico também. Vale a pena!Tenha sempre Jesus como a chave hermeneutica, tenha Jesus como a chave de interpretação e Deus honrará o seu esforço!

Um coração com Deus

Cria em mim, ó Deus, um coração puro, e renova em mim um espírito reto. Salmos 51:10Quem somos nós, aquilo que se ver ou o que está oculto? Quem somos nós quando ninguém nos vê? Quem somos nós, lá onde só Deus conhecer?È muito fácil viver-se de aparência. É muito fácil fazer-se ser, quem não se é, falar do que nunca se viu ou sentiu. Mais, se hoje o Senhor nos pedir contas, será que os nossos argumentos serão tão persuasivos ao ponto de convencer ao Senhor que estamos certos?Infelizmente, muitos de nós enganamo-nos a nós mesmo, pois a bíblia diz que não devemos temer ao homem, E não temais os que matam o corpo e não podem matar a alma; temei antes aquele que pode fazer perecer no inferno a alma e o corpo.Mateus 10:28, no entanto, estamos muito mais preocupados em agradar as pessoas do que agradar a Deus, certamente, estes nunca viram a Jesus em suas vidas, porque aquele que um dia achegou-se diante do supremo mestre, sabe o suficiente que, Ele é Justo, e que, Ele julgas as intenções que há dentro do coração. O Senhor julgará os povos; julga-me, Senhor, conforme a minha justiça, e conforme a integridade que há em mim. Salmos 7:8.Então, porque tão somente se faz as coisas para agradar as pessoas? Entendo que, nestes, Não há temor de Deus diante de seus olhos. Romanos 3:18, não conhece o Deus do qual fala, Pois, toda as leis do Senhor, resume-se em dois mandamentos. E Jesus disse-lhe: Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento. Este é o primeiro e grande mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Mateus 22:37-39.Adorar a Deus tem que ser a primeira coisa na vida de qualquer ser humano. E o que é adorar a Deus? É simplesmente ir a uma igreja, dar dízimos e ofertas, cantar louvores, viver de oba-oba, ser mais um na multidão? Não! Adorar a Deus está além de tudo isso, é rasgar-se sua alma em agradecimentos por tudo que Ele fez, independente do que Ele pode te dá ou não, é submeter-se totalmente a sua vontade, é reconhecer seu Senhorio, é obedecer as suas leis.Mas, para fazer isto, precisa-se o conhecer, e, é exatamente nisto, que implica na vida das pessoas, pois elas dizem que adora a Deus, mais, se elas não o conhecem como pode o adorar? Antes de qualquer ato é imprescindível o porquê dele, é fundamental conhecer o dono da vida para se viver a vida que Ele dá. Amar-lo na sua supremacia e majestade, amar-lo além das forças que há em nós, entender a nossa incapacidade perante a sua inigualável força. Mas, se alguém ama a Deus, esse é conhecido dele. 1 Coríntios 8:3Pois quem conhece a Deus não segue o seu coração.Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e perverso; quem o conhecerá? Jeremias 17:9, mais, segue o que diz a bíblia, E nenhum de vós pense mal no seu coração contra o seu próximo, nem ameis o juramento falso; porque todas estas são coisas que eu odeio diz o Senhor. Zacarias 8:17, como posso falar mal do meu irmão e dizer que conheço a Deus? Então, estareis sendo cúmplice de lúcifer, Ele é quem conhecia a Deus e dentro do seu coração maquinava o mal. Portanto, assim diz o Senhor DEUS: Porquanto estimas o teu coração, como se fora o coração de Deus, Ezequiel 28:6.Se sou de fato filho de Deus, eu não posso usar de falsidade, pois, ainda que eu fale milhões de palavras bonitas, se o meu coração estiver com maldade, vai prevalecer o que está no meu coração, porque é o coração a fonte da vida. Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem as fontes da vida. Provérbios 4:23, Mas, quando fazemos o que o nosso coração deseja, e, se isto estiver fora da vontade de Deus, estaremos sendo usados pelo o mal, então, essa é a força que está dominando o nosso ser, as trevas.Logo, o Senhor não poderá atender nossas orações, as nossas petições serão apenas palavras vazias que não surtirão nenhum efeito diante de Deus. Se eu atender à iniqüidade no meu coração, o Senhor não me ouvirá; Salmos 66:18, Quem tem um coração onde Deus mora, não fala mal do seu irmão, não julga, não calunia, não difama, não condena sem provas, não faz nada que prejudique a seu irmão, porque em seu ser, o que brota é o temor a Deus, conseqüentemente, estes tem medo do agir de Deus. Sabes, pois, no teu coração que, como um homem castiga a seu filho, assim te castiga o Senhor teu Deus. Deuteronômio 8:5.Quando um coração está em sintonia com Deus, antes de falar do homem para homem, ouve de Deus. Então, estes terão discernimento para agir em eqüidade com os parâmetros de Deus na sua vida e na vida de outrem. Qual é o homem que teme ao Senhor? Ele o ensinará no caminho que deve escolher. Salmos 25:12. Procure andar na direção correta, no Centro da vontade de Deus.

A Sunamita e seu filho, os sonhos de Deus não morrem

Uma das histórias mais comoventes da bíblia é esta sobre a Sunamita. Uma mulher de nome desconhecido, mas que o seu testemunho de vida atravessou milênios, em um verdadeiro exemplo de fé.Ela lutou pelo seu sonho, não deixou morrer a esperança, passou momentos difíceis, mas confiou em Deus e não se decepcionou.A história da Sunamita ocorreu aproximadamente entre 874 – 782 antes de Cristo, época em que apareceu no reino do norte de Israel o profeta Eliseu, que foi discípulo de Elias.O nome pelo qual ficou conhecida vinha da cidade de Suném, que traduzido significa [declive], pois Suném estava localizada em uma elevação de terras a cinco quilômetros ao norte do vale de Jezreel.Rodeada por cactos e pomares, logo a sua frente estava o monte Carmelo, onde Elias lutou com os quatrocentos profetas de baal. Bem próximo ao sul, podia se ver o caminho inclinado que levava ao monte Gilboa.De Suném se contemplava toda a planície de Jezreel, uma rica área agrícola. Muitos fazendeiros moravam no vale de Jezreel. O solo fértil favorecia o crescimento dos grãos, proporcionando grandes colheitas, o que acentuava o contraste entre a fertilidade do local, com a infertilidade que sofria a Sunamita.Este vale havia sido palco da batalha entre os filisteus e os exércitos do rei Saul.O Ministério de EliseuE o profeta Eliseu exercendo seu ministério, saía frequentemente de sua casa em Samaria e percorria cerca de 56 quilômetros para chegar ao monte Carmelo, local de seu retiro espiritual, onde se dedicava a oração, buscando a orientação de Deus.Era uma viagem longa e cansativa, consumia muito as energias de Eliseu e seu moço, Geazi. Eliseu e Geazi, entretanto, para chegarem ao Carmelo (525m de altura), sempre passavam por Suném. E a Sunamita certamente observava ainda de longe, o profeta e seu discípulo, que estavam constantemente em peregrinação por aquelas terras, para buscar a Deus.O interessante é que a Sunamita enxergou algo que toda uma cidade deveria ter visto, mas não viu. Suném era uma cidade próspera em que seus habitantes poderiam ter facilmente oferecido alimento e abrigo para um homem que estava a serviço de Deus em benefício de toda uma nação.”Sucedeu também um dia que, indo Eliseu a Suném, havia ali uma mulher importante, a qual o reteve para comer pão; e sucedeu que todas as vezes que passava por ali entrava para comer pão.” 2 Reis 4:8″E ela disse a seu marido: Eis que tenho observado que este que sempre passa por nós é um santo homem de Deus.” 2 Reis 4:9

E a Sunamita tem esse discernimento espiritual. A sua atitude de ajudar o profeta Eliseu e Geazi refletia o zelo e o amor a Deus, que ela possuía em seu coração. Ela era uma mulher bondosa e hospitaleira. E as escrituras mostram que no passado, pela hospitalidade, os servos do Senhor haviam hospedado anjos, sem saber.E ela pensava que ter o homem de Deus em sua casa representava uma oportunidade de um maior contato com o espiritual. Pra ela, fazer o bem ao homem de Deus era como se estivesse honrando ao próprio Deus.Então, a Sunamita em uma atitude de amor para com Deus e o seu profeta Eliseu, pede a seu marido que construísse um quarto na parte superior da sua casa, onde poderia abrigar Eliseu. O acesso ao piso superior da casa era feito por uma escada pelo lado de fora do imóvel.E o cômodo de cima era muito mais fresco e ventilado, e oferecia um melhor isolamento do barulho e sons que vinham da rua. Eliseu não seria incomodado e teria mais privacidade para buscar a Deus em suas orações.”Façamos-lhe, pois, um pequeno quarto junto ao muro, e ali lhe ponhamos uma cama, uma mesa, uma cadeira e um candeeiro; e há de ser que, vindo ele a nós, para ali se recolherá.” 2 Reis 4:10Ela pôs os seus bens à serviço do Senhor, pois para a Sunamita as coisas espirituais eram de grande valor, importavam mais do que as materiais. E Eliseu vendo a sua dedicação, lhe faz uma última prova de fé. Oferece recompensas materiais ou honras sociais.Parece aqui muito com a mesma prova que Jesus direcionou ao cego Bartimeu em Jericó.”Então Jesus, parando, mandou que lho trouxessem; e, chegando ele, perguntou-lhe, Dizendo: Que queres que te faça? E ele disse: Senhor, que eu veja.” Lucas 18:40-41

Eliseu ouve o sábio conselho de Geazi que lhe informou que a Sunamita não tinha filhos, um antigo sonho dela, que desejou tanto, imaginou as roupinhas do bebê, podia até ver uma linda criança correndo pelos corredores da casa. Mas era apenas um sonho, esquecido, relegado ao passado.Mas Deus contemplava a sua generosidade e a sua hospitalidade, a dedicação em servir ao Senhor através da ajuda que oferecia ao seu servo Eliseu. E esta atitude de amor para com o homem de Deus, gerou uma promessa, que ela mal podia acreditar; a Sunamita nunca esperou tamanha benção.E dentro de um ano a promessa de Deus se cumpriu, porque amor gera vida, paz e alegria. Ela concebeu e deu à luz um lindo e abençoado menino, filho da promessa, tal qual foi Isaque para Abraão e Sara.Agora aquele lar frio se enchia do calor do sorriso de uma criança. Uma família completa e feliz. Em Israel, um filho era considerado a maior benção e alegria que um pai e uma mãe poderiam alcançar. A mulher que não tinha filhos ficava profundamente envergonhada na sociedade.

E a lei judaica dava ao marido direito de se divorciar, caso a sua esposa não pudesse lhe dar um descendente que levaria o seu nome adiante. Mas tudo isso agora estava superado pois, Deus havia lhe dado o presente perfeito, o presente que ela realmente precisava.Este foi o sonho que a Sunamita escolheu para sonhar, um lar simples, mas feliz, uma família debaixo das bençãos de Deus. E o menino crescia nos caminhos do Senhor. Toda vez que ela olhava para seu filho, se lembrava da promessa de Deus se cumprindo na sua vida. Era lindo!”E concebeu a mulher, e deu à luz um filho, no tempo determinado, no ano seguinte, segundo Eliseu lhe dissera.” 2 Reis 4:17E o seu filho era uma benção. Ensinado na Lei do Senhor, obediente, ajudava ao seu pai no trabalho. Certamente na ansiedade de querer retribuir todo o amor e o carinho recebido de seus pais, este menino trabalha duro se expondo muito ao sol, mas ele ainda não tinha um preparo físico adequado, não estava acostumado ao trabalho árduo.O sol de verão é muito forte naquela região, faz muito calor. Muitos estudiosos acreditam que o filho da Sunamita tenha sofrido de insolação, que dependendo da intensidade da exposição ao calor, pode levar à morte, principalmente em jovens e idosos.”E, crescendo o filho, sucedeu que um dia saiu para ter com seu pai, que estava com os segadores, E disse a seu pai: Ai, a minha cabeça! Ai, a minha cabeça! Então disse a um moço: Leva-o à sua mãe.” 2 Reis 4:18-19E o menino é levado à sua mãe. Depois de algum tempo ele vem a falecer. Momentos terríveis passou aquela mulher, era o vale da sombra da morte. Ver seu único filho, quem ela amamentou com tanto zelo, muitas vezes acordando no meio da noite. Ela deu amor, deu carinho, ensinou as primeiras palavras, os primeiros passos.E ele estava ali, nos seus joelhos, ela podia sentir a sua vidinha pouco a pouco se esvaindo, sem poder fazer nada. Eu particularmente não posso nem imaginar a dor que seja passar por uma situação como essa.E a Sunamita olha para o seu filho, o seu sonho de ter uma família, agora frio, gelado, morto em seu colo…

Mas se estava passando pelo vale da sombra da morte, ela não temeu. Ela não aceitou a morte do seu sonho! Tomando-o em seus braços, o põe carinhosamente na cama do profeta Eliseu, e parte para um duro embate, um caminho longo, uma jornada de 24 quilômetros na estrada que subia até o monte Carmelo, para recuperar a vida de seu filho, fruto da promessa de Deus.Ao longe ela responde ao profeta com palavras que demonstravam a sua certeza, a fé de que a vida do seu filho seria restaurada. A frase “vai tudo bem”, faz me lembrar da resposta de Abraão ao seu filho Isaque, quando este iria oferecê-lo em sacrifício a Deus.”E disse Abraão: Deus proverá para si o cordeiro para o holocausto, meu filho. Assim caminharam ambos juntos.” Gênesis 22:8Ao chegar diante de Eliseu, ela se prostra com o coração quebrantado. E Eliseu sendo um homem poderoso em palavras e obras, nos deixa também uma lição de humildade aqui. Ao invés de tentar “dar uma de advinho”, ele reconhece que Deus não havia lhe revelado o que estava acontecendo naquele momento.”Chegando ela, pois, ao homem de Deus, ao monte, pegou nos seus pés; mas chegou Geazi para retirá-la; disse porém o homem de Deus: Deixa-a, porque a sua alma está triste de amargura, e o SENHOR me encobriu, e não me manifestou.” 2 Reis 4:27Eliseu então manda o seu discípulo Geazi por o seu bordão sobre o rosto do menino morto. Mas há tarefas que não são para Geazi realizar. Certas coisas exigem a presença do homem de Deus. A Sunamita sabia disso, e luta por seu filho, insistindo com o profeta que não o deixaria enquanto ele não fosse com ela.Eliseu vendo a disposição e a fé dela, levanta-se e a acompanha. Geazi que foi na frente deles, volta com notícias não muito boas, o bordão não funcionou. Algo parecido havia acontecido também com Jairo, quando buscava pela ajuda de Jesus e os seus familiares chegaram dizendo que sua filha já estava morta, ao que o Mestre lhe deu a boa instrução: Crê somente.O bordão de Eliseu não funcionou porque para se ressuscitar sonhos é preciso intercessão, súplicas e “calor humano”. Eliseu teve que orar de portas fechadas, pois “ora a teu Pai que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará publicamente.” Mateus 6:6.

É preciso insistência, “Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e encontrareis; batei, e abrir-se-vos-á.” Mateus 7:7. Eliseu após a oração, transmite “calor” ao jovem através do contato direto com o morto. Uma simbologia de que não podemos nos isolar daqueles que estão “mortos espiritualmente”, necessitando da nossa ajuda.Tal como Jesus, Eliseu não temeu a impureza cerimonial da Lei, mas voltou a deitar-se sobre o menino, aquecendo-o novamente e transmitindo-lhe vida. Muitas vezes é preciso agir de igual forma, abraçando com muito amor os pecadores, a quem desejamos ver “ressuscitados”.”E subiu à cama e deitou-se sobre o menino, e, pondo a sua boca sobre a boca dele, e os seus olhos sobre os olhos dele, e as suas mãos sobre as mãos dele, se estendeu sobre ele; e a carne do menino aqueceu.” 2 Reis 4:34A fé da Sunamita foi honrada, o sonho de Deus não morre, temos que ter fé. Ela humildemente agradece e entra para a história de Israel como uma mulher sábia e de fé.Eu sei que há muita gente com os sonhos morrendo, gente que perdeu tanta coisa na vida, e chega até aqui sem nem saber como. Talvez o seu sonho esteja esquecido, no passado, você já nem se lembra mais o que é poder sonhar.

Quem sabe o seu sonho é ver aquela pessoa amada ou um familiar transformado, “ressuscitado” espiritualmente, liberto das drogas, dos vícios e do pecado. Mas você precisa tomar uma decisão hoje. Veja, a Sunamita decidiu firmemente que ela não aceitaria a morte da promessa de Deus na sua vida, e partiu num longo caminho até o profeta.O caminho da restauração é longo e difícil. O Primeiro passo da Sunamita foi a transformação dela mesma. Resolveu confiar em Deus e se dedicar ao amor quando ainda nem tinha a perspectiva de ter um filho.Jesus sempre alertou aos seus discípulos que a maior arma que vence o mundo é o amor. Resolva amar. Renuncie à violência, renuncie às discussões, renuncie aos desentendimentos. E tenha atitudes de amor, perdoe, abrace, transmita calor humano e vida.E ore. Confie no Senhor, Ele renovará as suas forças.

DEUS, GRANDE E TEMÍVEL !

falando e mostrando as verdades de Deus.

Criativação

ensinando a ensinar a Bíblia para as crianças

Deus Fala Comigo

Devocionais e mensagens com palavras de inspiração de fé amor e esperança.

Léia Miranda

sobre mim e tudo ao redor

Pra lá da Linha

JUST TRAVEL

VEJA.com

Notícias sobre política, economia, celebridades, mundo e esportes. Coberturas e reportagens especiais em TVEJA.

Suma Apologética

Defendendo a fé cristã com razão e precisão.

Blog Paracleto

Pesquisas e Informações relevantes para líderes e Organizações Não Governamentais

Obrigada, estou apenas olhando...

A desculpa perfeita para fugir das compras supérfluas!

Tradução do Novo Mundo Defendida!

Um site em defesa da Bíblia Sagrada e da melhor tradução da Bíblia Sagrada!

André Anéas' Blog

Aqui se fala do Reino de Deus...

Aleteia: vida plena com valor

Estilo de vida, plenitude e valores que permanecem

E Agora, Cinderela?

confissões de uma feminista agora mãe em tempo integral

A Bússola Quebrada

A gente sem rumo pelo mundo

Paróquia São Benedito - Pascom.

Pastoral de Comunicação

Embaixada Cristã

Alex Gonçalves

Crie um novo site no WordPress.com
Comece agora
%d blogueiros gostam disto: